Estados Unidos

Situação nada amistosa

No último sábado, Vancouver Whitecaps e Real Salt Lake disputariam partida pela 18ª semana da MLS. Mas os clubes não jogaram devido ao estado do gramado, que foi prejudicado pelas fortes chuvas que aconteceram na Colúmbia Britânica nos últimos dias da semana passada. O problema não está nisso, mas sim em outras circunstâncias que fizeram o jogo ser adiado.

Na segunda seguinte, o Whitecaps disputaria amistoso contra o Manchester City, pelo World Football Challenge, torneio amistoso que reúne clubes europeus, mexicanos e da MLS. Como o Empire Field, casa provisória do Whitecaps, tem gramado artificial (o FieldTurf), o clube inglês pediu que um tapete de grama natural fosse instalado por cima do original para que o amistoso fosse disputado.

Com a troca da superfície de jogo, que já não era muito boa, e toda a chuva, os funcionários do Whitecaps colocaram uma lona por cima do tapete para tentar fazer com que o jogo contra o Real pudesse acontecer, mas como a precipitação continuou forte, a partida válida pela MLS não aconteceu e acabou sendo realocada para outro dia, já que os donos da casa tinham o jogo contra o Manchester City dois dias para frente e outra partida na quarta, contra o San Jose.

A situação da preferência por amistosos por cima das competições principais não é um fato novo na MLS. Faz um grande tempo que a maioria dos clubes arranjam amistosos no meio da temporada para tentar aumentar a visibilidade do futebol norte-americano para o mundo e isso acaba deixando os clubes em situações de risco, como a do próprio Vancouver, que entre sábado e quarta disputaria 3 jogos, caso a partida contra o RSL não fosse adiada.

Outro exemplo curioso disso é o New York Red Bulls, clube já famoso no mundo por causa de Henry e os grandes investimentos da empresa de energéticos. Poucos sabem é que os touros vermelhos nunca ganharam um título e devido à participação do clube na Emirates Cup, apenas 14 jogadores foram enviados para o jogo contra o Chicago Fire, válido pelas quartas-de-final da US Open Cup (uma espécie de Copa do Brasil), o caminho mais fácil para se chegar na Concacaf Champions League.

Pelo menos existem clubes que estão deixando essa mentalidade de lado. O próprio RSL já deixou de fazer amistosos contra clubes europeus e vem se concentrando em disputar apenas as competições caseiras em alto nível e tentando chegar o mais longe possível na competição continental. A aposta se mostrou bastante efetiva, já que o time de Salt Lake City chegou na final da última Concachampions e quase conquistou o torneio, perdendo apenas para os mexicanos do Monterrey.

Claro que os clubes têm que buscar o reconhecimento mundial, mas o melhor caminho para se fazer isso é aumentando o nível do futebol caseiro e chegando a fases decisivas de competições continentais. É desse jeito que a MLS alcançará um bom nível e não deixando com que alguns de seus clubes passem vexame contra os gigantes europeus.

Resultados da 18ª semana da MLS

Seattle Sounders 4×3 Colorado Rapids
SEA: Alvaro Fernandez (7‘), Roger Levesque (48‘), Fredy Montero (82‘), Mauro Rosales (84‘) / COL: Wells Thompson (1’), Jeff Larentowicz (43’), Caleb Folan (90’)

Chicago Fire 0x1 Portland Timbersb
POR: Jack Jewsbury (25’)

Houston Dynamo 1×1 Sporting Kansas City
HOU: Brad Davis (8’) / KC: Aurelien Collin (90’)

New England Revolution 0x3 Philadelphia Union
PHI: Carlos Ruiz (12’), Carlos Valdez (24’), Sheanon Williams (90’)

Chivas USA 0x0 New York Red Bulls

FC Dallas 0x0 DC United

Columbus Crew 0x0 San Jose Earthquakes

Mostrar mais

Equipe Trivela

A equipe da redação da Trivela, site especializado em futebol que desde 1998 traz informação e análise. Fale com a equipe ou mande sua sugestão de pauta: [email protected]

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo