Estados UnidosMLS

Nova franquia da MLS em Los Angeles surge com investidores famosos e participação de torcedores

A Major League Soccer terá time novo em 2017, e não é um projeto qualquer. Com um time de “estrelas” no grupo de investidores e planos ambiciosos, o Los Angeles FC ainda tem muito pouca coisa definida, mas um objetivo já estabelecido: ser uma das grandes marcas do futebol mundial a longo prazo. Pelo menos as bases sobre as quais será fundado o novo clube estão bem estabelecidas: os torcedores se sentirão parte do projeto, participando ativamente da sua criação.

VEJA TAMBÉM: Talisca continua arretado e marcou mais um golaço pelo Benfica

O nome Los Angeles FC é temporário, apenas como uma referência, até que os futuros torcedores decidam qual nome querem que a equipe carregue. Eles também escolherão o escudo do time e os uniformes, através de votações online ainda sem datas definidas. Uma ótima medida para começar a criar uma base de fãs antes mesmo de ter a chance de criar algum apelo dentro de campo.

Por enquanto, mais que essa interatividade, o que chama mesmo a atenção é o calibre do grupo de investidores. O mais ilustre deles é Magic Johnson, lenda dos Los Angeles Lakers. Mas há espaço também para outros personagens que você não imaginaria juntos em algum contexto além desse, como o excêntrico – e odiado – dono do Cardiff City, Vincent Tan, a ex-jogadora da seleção americana de futebol feminino Mia Hamm e o ex-atleta da Major League Baseball Nomar Garciaparra, atualmente comentarista da ESPN.

Site do clube mostra investidores
Site do clube mostra investidores

O site oficial da nova franquia apresenta um quadro com os investidores, com um dos espaços vazio, com a mensagem de que “parceiros sempre terão seu lugar na mesa”. A página revela também os planos de construção de um novo estádio, e é aí que aparece a maior vantagem para que a empreitada dê certo. O LA Galaxy, embora bastante popular e bem-sucedido na MLS, tem como defeito a distância a que fica do centro de Los Angeles. Sem revelar exatamente a localidade em que gostaria de se estabelecer, o LAFC vê aí uma brecha para crescer e está “procurando o lugar perfeito para um estádio de futebol que será um âmago de diversidade e cultura. Um estádio que se misture à comunidade e ainda crie uma experiência única para os torcedores”.

Enquanto isso não sai do papel, o estádio usado deverá ser o Los Angeles Memorial Coliseum, um dos grandes palcos esportivos da cidade, que recebeu, entre outros eventos, a abertura das Olimpíadas de 1984. Com tantos elementos atrativos, ambição e localizado numa das maiores cidades do mundo, o LAFC certamente será um projeto que valerá a pena ser acompanhado, ainda que seu futuro não seja certo.

Mostrar mais

Leo Escudeiro

Apaixonado pela estética em torno do futebol tanto quanto pelo esporte em si. Formado em jornalismo pela Cásper Líbero, com pós-graduação em futebol pela Universidade Trivela (alerta de piada, não temos curso). Respeita o passado do esporte, mas quer é saber do futuro (“interesse eterno pelo futebol moderno!”).

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo