Há anos ouvimos nas transmissões que o Craven Cottage, casa do Fulham, é o estádio mais charmoso da Inglaterra. Não existe alguma metodologia objetiva para cravar isso com 100% de certeza, é algo muito relativo, mas, seguramente, podemos colocá-lo pelo menos entre os mais charmosos. E, se você quiser visitá-lo em sua configuração atual, o tempo está curto.

Isso porque o clube confirmou nesta quarta-feira (22) o início da reforma da arquibancada Riverside, que fica colada ao rio Tâmisa. A nova arquibancada irá aumentar a capacidade do Craven Cottage de 25,7 mil para 30 mil e dar aquela modernizada, mas a contrapartida é que, bom, vai dar aquela modernizada.

Segundo o presidente do Fulham, Shahid Khan, os trabalhos de reforma devem começar neste verão europeu, a partir de junho, e a previsão é que tudo seja concluído a tempo do início da temporada 2021/22. Ao todo, o projeto deve custar cerca de £ 100 milhões, e Khan espera que seja um divisor de águas para o clube, o bairro e “toda a cidade de Londres”.

O novo prédio deverá contar com restaurantes, cafeterias, bares, áreas VIP corporativas, espaço de eventos e até mesmo nove pequenos apartamentos para estadia curta, segundo o site oficial do clube.

Área de convivência atrás da atual arquibancada Riverside, no Craven Cottage, onde os torcedores passam o pré-jogo e o intervalo (Leo Escudeiro/Trivela)

O clube anunciou que chegou a um acordo com a empresa de construção Buckingham Group para a demolição da atual arquibancada Riverside e a subsequente edificação da nova. Ela foi projetada pela firma de arquitetura Populous e terá um espaço de “primeira classe” para os torcedores às margens do Tâmisa, com esse visual todo gentrificado que você vê na imagem que ilustra o post.

O Fulham afirma que os trabalhos não irão impedir a realização de jogos no Craven Cottage. Como é o caso de outros estádios renovados, apenas a arquibancada trabalhada será fechada, com os setores Hammersmith End, Putney End e a histórica Johnny Haynes Stand recebendo os cerca de 19 mil torcedores que poderão assistir a cada jogo no oeste de Londres.

Resta-nos comemorar pelo menos a manutenção das outras arquibancadas, especialmente a Johnny Haynes, construída em 1905 por Archibald Leitch. Até hoje, ela mantém assentos de madeira originais como pensados pelo histórico arquiteto.

Assentos originais da arquibancada Johnny Haynes Stand, como idealizados por Archibald Leitch (Leo Escudeiro/Trivela)