Suárez tem boas razões na queda de braço com o Liverpool

Craque pede por transferência nesta janela e afirma que uma cláusula no contrato dá a brecha. Desta vez, ele parece ter a razão em um imbróglio

Esqueça as polêmicas. Luis Suárez pode ter causado inúmeras controvérsias por seu comportamento dentro de campo. As acusações de racismo de Patrice Evra, a mordida de Branislav Ivanovic, qualquer outra atitude antidesportiva em campo. Todo este histórico fica para trás em sua queda de braço com o Liverpool por sua transferência. E, por suas palavras, o atacante tem boa parcela de razão.

Suárez alega que sua última renovação de contrato com os Reds tinha uma cláusula. Se o clube não se classificasse à Liga dos Campeões, ele poderia deixar Anfield se alguém cobrisse uma oferta de € 48 milhões. O uruguaio marcou gols aos montes na última edição da Premier League, o que ainda assim não foi suficiente para deixar a equipe no Top Four. Agora, o artilheiro só exige que a diretoria cumpra o acordo assinado em agosto de 2012.

“No ano passado, eu tive a oportunidade de me transferir a um grande clube europeu e permaneci sob acordo de que, se não conseguíssemos a classificação à Liga dos Campeões, eu teria permissão para sair. Eu dei meu máximo na última temporada, mas não foi suficiente para nos deixar entre os quatro primeiros na tabela. Tudo o que quero é que o Liverpool cumpra nosso acordo”, declarou, em sua primeira entrevista sobre o tema desde o início do imbróglio, ao jornal The Guardian.

“Não me sinto traído pelo Liverpool, mas o clube me prometeu algo há um ano, assim como eu disse que ficaria e tentaria de tudo para nos colocar na Champions. Eu dei minha palavra e quero que eles honrem a deles. E isso não é apenas um acordo verbal com o técnico, mas escrito em contrato. Eu não estou indo para outro clube apenas para ferir o Liverpool”, completa Suárez.

Mais do que dinheiro, o orgulho
(AFP PHOTO/ANDREW YATES)
(AFP PHOTO/ANDREW YATES)

As manifestações de Luis Suárez, ao que parece, pouco interferem na postura intransigente do Liverpool. O Arsenal ofertou os € 48 milhões pedidos em contrato, mas os Reds bateram o pé para segurar o atacante. E a maior interrogação se coloca justamente sobre o texto da cláusula. O clube afirma que o valor só abre a possibilidade de abrir as conversas para negociar, enquanto Suárez defende que esta seria uma multa rescisória, que permitiria sua saída assim que atingida.

As atitudes do Liverpool, obviamente, trazem uma interpretação que vai além do valor. Lucrar € 21,5 milhões com o jogador trazido do Ajax há dois anos e meio é o de menos. O primeiro entrave é a perda do craque do time, em um projeto que está sendo estruturado por Brendan Rodgers. Achar a reposição não será tão simples, ainda mais nessa janela, por mais que a equipe tenha dado sinais na reta final da Premier League que o camisa 7 não é tão imprescindível assim. Pior ainda é perdê-lo para um rival na Premier League.

“Eu tenho 26 anos. Eu preciso disputar a Liga dos Campeões. Não estou pedindo para me transferir para um rival. E não consideraria ir a um clube que não esteja na LC. Eu deixei meu desejo claro várias vezes ao clube em privado e agora eu sinto que é a hora de torná-lo público. Eu coloco minha carreira em primeiro lugar. As pessoas dizem que o Liverpool merece mais de mim, mas eu marquei 50 gols em menos de 100 jogos e agora eles podem dobrar o dinheiro investido em mim”, afirma Suárez.

Se Suárez fechar com o Arsenal, seria o atestado da perda de grandeza do Liverpool. Não bastasse as campanhas medianas na liga e a ausência na Champions há quatro temporadas, o clube perderia seu principal jogador por estar um degrau abaixo de um adversário que nem de longe vive seu auge. Um baque e tanto para o segundo maior campeão inglês, dono de 11 títulos continentais.

Além dos Gunners, outro clube que teve o interesse especulado em Suárez foi o Real Madrid. Entretanto, os merengues agora estão concentrados em trazer Gareth Bale e em renovar o contrato de Cristiano Ronaldo. Se quebrarem a banca pelo galês e desembolsarem mais alguns milhões pelo espanhol, dificilmente os espanhóis devem correr atrás do uruguaio e, sobretudo, pagar a quantia pretendida pelos Reds.

O que esperar daqui para frente

As cartas estão colocadas sobre a mesa, agora publicamente. O Liverpool não se mostra muito aberto a mudar sua postura, enquanto Suárez espera um desfecho favorável aos seus anseios até 31 de agosto. Posicionando-se sobre o assunto, a Associação de Jogadores Profissionais (PFA) se colocou ao lado do uruguaio, mesmo ressaltando que o texto do contrato precise ser revisto e esclarecido.

No meio da sinuca, a torcida do Liverpool. Em um primeiro momento, as manifestações foram contrárias ao artilheiro. Muitos se sentiram traídos por defender o uruguaio diante de suas polêmicas e vê-lo virar as costas a essa confiança pouco depois. Depois do posicionamento público de Suárez, no entanto, parte destes sentimentos negativos deve se voltar à diretoria, pela forma como apostou a sorte do time e pela falta de ética depois de que seus planos foram por água abaixo.

A não ser que os Reds deixem o próprio interesse de lado pelo dinheiro ou voltem atrás de tudo o que disseram nas últimas semanas, é difícil imaginar uma solução para o caso sem uma intervenção externa. Suárez reitera seu compromisso dentro de campo e seus números – 51 gols em 96 partidas – ajudam a respaldá-lo. Porém, fica a dúvida se o rendimento será o mesmo com tamanha vontade em disputar a Liga dos Campeões.

“Eu fui perguntado se gostaria de jogar pelo Real Madrid. É como perguntar a qualquer um se quer mudar de emprego e ir a uma grande companhia. Todos querem o mais alto nível e tudo o que eu fiz foi dar uma resposta honesta, que eu poderia. No mesmo dia, Pepe Reina disse o mesmo sobre o Barcelona e ninguém mencionou isso. Mas, se é comigo, parece que estou desrespeitando o Liverpool. É sempre o mesmo: uma regra para mim, outra para o resto das pessoas”, finaliza Suárez. Pelo ‘crime’ de ter ambição na carreira, ao menos, o craque não pode ser condenado.