Kylian Mbappé pode ter apenas 21 anos, mas fala frequentemente com a experiência de um veterano – e, em entrevista à BBC, voltou a fazê-lo. Perguntado sobre seu futuro e as especulações de uma possível saída para o Real Madrid, foi direto sem ser clichê: “Falar disso não é bom para o PSG”.

O atacante conversou com a emissora britânica durante o lançamento de sua instituição de caridade, a “Inspired by Kylian Mbappé”. Pelo momento da temporada, de janela de transferências de inverno e aquecimento dos rumores para a janela seguinte, após a temporada, o jogador foi questionado sobre as chances de alguma transferência para fora do PSG.

“Todos falam disso. Quando eu era jovem, eu falava também. Mas agora sou jogador e sei que não é o momento”, respondeu Mbappé, cuja vontade de um dia defender o Real Madrid nunca foi exatamente um segredo. Os rumores cresceram nos últimos meses de 2019, com Zidane, técnico dos madridistas, fazendo seguidos elogios ao atacante na imprensa.

No entanto, o camisa 7 do PSG parece bastante preparado para lidar com esse tipo de pergunta – e é sensível o suficiente para não tecer comentários que criariam distúrbios a seu clube em um momento importante da temporada, de preparação para o mata-mata da sonhada Champions League.

“Estamos em janeiro, é a época do dinheiro na temporada. Imagina se eu respondo sua pergunta e digo algo. Todo mundo vai falar disso, e isso não é bom para o PSG.”

Reiterando seu compromisso com o Paris Saint-Germain, Mbappé disse que não é bom comentar seu futuro agora. Um gesto cauteloso, mas também de gratidão aos parisienses: “Penso no clube, porque ele me ajudou. Cheguei aqui aos 18 anos. Eu era um talento, mas não uma estrela. Agora sou uma estrela, graças ao PSG e à seleção francesa”.

“Tenho que seguir calmo e focado no PSG. Depois disso, no fim da temporada, veremos. Mas, agora, estou focado no meu futebol”, completou.

O Real Madrid pode ter sido o sonho de infância e adolescência, mas não é o único clube digno da admiração de Mbappé. O atacante tem se impressionado com a campanha invicta do Liverpool na Premier League, com 21 vitórias e um empate em 22 jogos.

“O que o Liverpool está fazendo é incrível. Eles são como uma máquina, encontraram um ritmo. Não perderam nenhum jogo. Quando você assiste, acha que tudo é fácil, mas não é. Eles estão focados, jogam a cada três dias e vencem, vencem, vencem.”

Para alcançar um de seus grandes objetivos a médio prazo, a Liga dos Campeões pelo PSG, são times dessa estatura que seu clube precisará estar pronto para derrotar. E, apesar de por ora soar apenas como um sonho distante, o jogador não se esquiva da responsabilidade e fala publicamente das metas.

“Seria uma tríplice coroa: Champions League, Eurocopa e Jogos Olímpicos. Nada mau. Parece inatingível no momento, mas vou me certificar de que eu realize esse sonho. Seria um orgulho conseguir vencer a primeira Liga dos Campeões pelo PSG e que nosso país seguisse vencendo.”

O comentário é também a jogada da vez de Mbappé em sua “briga” para disputar tanto a Eurocopa quanto os Jogos Olímpicos deste ano. Em dezembro de 2019, o atacante já havia expressado sua vontade em entrevista à France Football: “Sobre a participação nos Jogos Olímpicos, não cabe a mim. Claro que quero ir, mas se o meu clube, que é meu empregador, não quiser que eu vá, não irei confrontá-los”.

A participação dupla não exatamente agrada Federação Francesa ou PSG. Para a primeira, significaria uma divisão de atenção com a Euro, enquanto para o clube, um risco significativamente maior de lesão – além da necessidade de férias mais longas. Enquanto a Euro será realizada entre 12 de junho e 12 de julho, o campeonato de futebol masculino dos Jogos Olímpicos acontece entre 23 de julho e 8 de agosto.