Todos estamos acostumados a dizer que o rival do Barcelona na Espanha é o Real Madrid. Nada mais justo, pois são os times que costumam polarizar as atenções de torcida e mídia, e por terem histórias ricas em embates históricos. Mas dentro da própria Catalunha, o Barcelona tem um rival, que também tem “Real” no nome, mas que é mais conhecido no futebol como Espanyol.

O time é o atual campeão da Copa do Rei da Espanha, após derrotar por 4 a 1 o Zaragoza, que havia eliminado Real Madrid e Barcelona. Com a conquista, garantiu uma vaga na próxima Copa da UEFA. Já no Campeonato Espanhol, a situação é bem diferente, pois a equipe tenta escapar da zona de rebaixamento.

100% espanhol (ou catalão)

Fundado em 1900 por Angel Rodríguez, estudante da Universitat de Barcelona, o clube recebeu o nome “Sociedad Española de Football”. Hoje, a escolha soa como ´pouco catalã´, mas o motivo foi justamente o oposto: ser um símbolo nacionalista. Quando foi fundada, a agremiação era  a primeira na Espanha formada majoritariamente por catalães. Curiosamente, o Barcelona, que se transformou em ícone da causa catalã, na época era uma entidade voltada a imigrantes.

A equipe jogava inicialmente com camisas amarelas, mas mudou para branco e, em 1909, adotou o modelo atual, listrado em azul e branco. O primeiro título da equipe foi o Campeonato da Catalunha, em 1903, que o levou a disputa da Copa do Rei. Porém, a Soceidad Española faliu em 1906, e vários jogadores se mudaram para o X Sporting Club. Esta equipe se tornou tricampeã catalã entre 1906 e 1908. Em 1909, a Sociedad ressurgiu como Club Deportivo Español. Em 1912, o Rei Alfonso XIII concedeu o título de “Real” ao time e o uso da coroa em seu escudo. A partir de então, o clube passou a se chamar Real Club Deportivo Español.

O Español participou da fundação da Liga Espanhola, em 1928. Na temporada seguinte, conquistou sua primeira Copa do Rei ao bater o Real Madrid por 2 a 1. Desde 1923, o time atuou no estádio Sarriá, comprado em definitivo nos anos 50.

Entre terceiros, Copas do Rei e vice na Uefa

Apesar de um jogador do Español ser o responsável pelo primeiro gol da história da Liga, marcado por Pitus Prats, o time terminou em sétimo lugar na temporada de estréia . Mesmo sem ter nunca chegado ao título ou ao vice-campeonato (sua melhor posição foi em terceiro em quatro oportunidades), o Español se manteve durante muito tempo na primeira divisão (disputou apenas quatro vezes a Segundona).

Com a abdicação do rei e a criação da república espanhola, o então Español perdeu o “Real” do nome e adotou uma denominação mais amigável aos catalães: Club Esportiu Espanyol, retornando ao antigo nome com o fim da Guerra Civil Espanhola. Durante esse tempo, o time conquistou sua segunda Copa do Rei na temporada 1930/40, de novo com uma vitória em cima do Real Madrid – dessa vez por 3 a 2.

Veio um longo jejum de conquistas importantes, embora a equipe ainda se mantivesse na primeira divisão espanhola e de vez em quando chegasse a alguma competição européia. Mas os bons tempos retornaram na Copa Uefa de 1987/8. O time eliminou Borussia Mönchengladbach, Milan, Internazionale, TJ Vitkovice e Club Brugge, antes de perder nos pênaltis o título para o Bayer Leverkusen. O time alemão havia eliminado o Barcelona.

Em 1995, o clube adotou sua denominação atual, em catalão: Reial Club Deportiú Espanyol de Barcelona. O time voltou a vencer a Copa do Rei em duas oportunidades: 1999/2000, diante do Atlético de Madrid, e 2005/6, em cima do Zaragoza.

Mudando de casa

Nos últimos anos, o Espanyol passou por uma mudança importante. Em 1997, vendeu o estádio Sarriá e passou a mandar jogos no Estádio Olímpico de Barcelona, bem maior que sua antiga casa. Com isso, o clube vendedu o terreno da antiga casa e saneou as dívidas, aproveitando ainda os incentivos da prefeitura para quem desse uso constante ao estádio reformado para receber os Jogos Olímpicos de 1992.

O problema é que o estádio tem difícil acesso – fica no alto do Montjuïc – e inibe a ida de torcedores ao estádio. Assim, a média de público do Espanyol é baixa se consirado que o time joga em uma cidade de 2 milhões de habitantes.

Mas o clube está se reestruturando. Em 2001, inaugurou o seu centro de treinamento, o Ciudat Esportiva, e no ano seguinte anunciou a construção de um novo estádio para o clube, na cidade de Cornelia-Prat, vizinha à Barcelona.

Além disso, já tem nos planos uma nova casa. O estádio, ainda provisoriamente chamado de Nou Estadi, terá capacidade para 41 mil espectadores e atenderá as normas da UEFA. As obras começaram em 2005, sem uma previsão para o término.

Uma nova casa que deve aguardar novos tempos para os espanyolistas. Até porque, depois de ver 30 mil torcedores ´periquitos´ se deslocrem até Madri para apoiar o time na final da Copa do Rei. Mostra de que o clube, tradicionalmente ligado a não-catalães que moram em Barcelona e a pessoas que gostam de ´´ser diferentes´´ da maioria, ainda cativa muita gente.