BrasilEspanha

Valencia prefere capitão do Brasil sub-20 a Rodrigo Caio e todo mundo sai ganhando

A negociação de Rodrigo Caio com o Valencia não deu certo e cada um dá uma versão. Enquanto o clube espanhol diz que o jogador foi reprovado no exame médico, o jogador se diz insatisfeito por uma proposta salarial abaixo do que foi combinado. Seja como for, o negócio não aconteceu e ele voltou ao São Paulo, depois do negócio com o Atlético de Madrid também fracassar. Mas o Valencia não desistiu da contratação de um volante. E foi atrás de outro brasileiro: Danilo Barbosa, capitão da seleção brasileira sub-20 na campanha que acabou com o vice-campeonato na Copa do Mundo da categoria. E por valor bem menor do que pagaria pelo são-paulino.

LEIA TAMBÉM: Espere sentado pela criação da liga, porque os clubes só querem usá-la para barganhar na CBF

Rodrigo Caio se mostrou um jogador muito promissor, especialmente como volante. Atuando pela seleção brasileira sub-21, foi campeão do torneio de Toulon em 2014 como um dos principais jogadores do time. O São Paulo tinha a expectativa de vende-lo, mas uma lesão o afastou dos gramados por quase oito meses. Com o fracasso das negociações com Valencia e Atlético de Madrid, ele voltou ao São Paulo, onde terá que mostrar o futebol e a resistência física que o fracasso das negociações deixou em dúvida.

O Valencia, então contratou Danilo Barbosa, volante brasileiro de 19 anos do Braga. Ele se destacou como capitão da seleção brasileira no Mundial sub-20, que o Brasil perdeu para a Sérvia por 2 a 1 na final. Danilo foi um dos melhores jogadores do time, dando qualidade à saída de bola, om no jogo aéreo e com bom posicionamento.

Danilo Barbosa na seleção sub-20 (AP Photo/Ross Setford)
Danilo Barbosa na seleção sub-20 (AP Photo/Ross Setford)

É um jogador jovem, que atuava por um time que não está entre os maiores de Portugal, que nem está entre as melhores ligas da Europa. Mesmo assim, é um jogador já adaptado à Europa, algo que os clubes por lá costumam valorizar, já que os sul-americanos carregam o estereótipo de serem talentosos, mas também de terem dificuldade de adaptação – basta lembrar que Viola, nos anos 1990, deixou o clube dizendo que sentia falta de comer feijão.

A contratação de Rodrigo Caio custaria € 12,5 milhões aos sofres do Valencia. Danilo foi contratado por empréstimo com uma cláusula de compra fixada em € 7 milhões, cinco milhões e meio a menos, por um jogador mais jovem e que acabou de mostrar a sua capacidade técnica em campo. É um jogador que chega pronto para jogar ou mesmo para ser uma opção no banco de reservas.

Rodrigo Caio acrescentaria muito para o Valencia e tem tudo para tecnicamente se tornar um jogador de nível internacional. Mas também é verdade que suas seguidas lesões no profissional e até antes de chegar ao time de cima colocam uma dúvida sobre a sua condição física. Danilo não tem essa ressalva e cega tecnicamente muito bem. O são-paulino jogou pouco em 2015 para se ter segurança que ele está bem fisicamente. Por isso, o Valencia fez um bom negócio.

E, talvez, também tenha sido bom para Rodrigo Caio e o São Paulo. Não financeiramente, claro, já que o clube está vendendo qualquer jogador para sair do ciclo de atrasos de salários que se enfiou em 2015. Mas tecnicamente, o São Paulo mantém aquele que é possivelmente o melhor volante do elenco. Bom para o técnico Juan Carlos Osorio e para o jogador, que deve ganhar uma sequência de jogos e ser o titular do time com alguma tranquilidade. No fim, todos ficam felizes.

Danilo Barbosa é apresentado pelo Valencia (Foto: divulgação)
Danilo Barbosa é apresentado pelo Valencia (Foto: divulgação)

Mostrar mais

Felipe Lobo

Formado em Comunicação e Multimeios na PUC-SP e Jornalismo pela USP, encontrou no jornalismo a melhor forma de unir duas paixões: futebol e escrever. Acha que é um grande técnico no Football Manager e se apaixonou por futebol italiano (Forza Inter!) desde as transmissões da Band. Saiu da posição de leitor para trabalhar na Trivela em 2009.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo