EspanhaLa Liga

Sabe o uniforme tradicional do Barcelona, sem patrocínios? Ele pode voltar

Você se lembra daquela época em que, em meio a um mundo futebolístico cada vez mais capitalista, o Barcelona se orgulhava de seguir a tradição de não estampar marcas em seu uniforme? Ela ficou para trás nos últimos anos, com uma transição lenta mas que já levou até a um patrocínio na parte de dentro da camisa. Porém, o clube planeja retornar a suas raízes. Segundo a Rádio Catalunya, os blaugranas pretendem voltar a exibir sua camisa lisa, livre de patrocinadores, a partir de 2016 e começarão a estudar a viabilidade financeira disso no final deste ano.

VEJA TAMBÉM: Beckham já se aposentou, mas segue ganhando uma fortuna com patrocínios

Um relatório técnico será entregue aos dirigentes do clube, apresentando possíveis alternativas de renda para os mais de € 30 milhões anuais que a equipe recebe pelo acordo com a Qatar Airways, que termina em junho de 2016. O documento será essencial para a sequência ou não do plano de voltar às origens, afinal, o Barça estará abrindo mão de muito dinheiro para poder se libertar das marcas na camisa. Nos três anos já passados do acordo com a empresa árabe, já arrecadou mais de € 90 milhões.

Até 2006, o Barcelona trazia em sua camisa apenas o símbolo da Nike, sua fornecedora de materiais esportivos. Isso mudou, com a introdução do logotipo da Unicef, que não despendia nada para ter sua marca exposta no uniforme do clube. De 2011 em diante, a Qatar Foundation assumiu o espaço e, embora o acordo também não fosse comercial, a expectativa era de que em breve se tornasse assim. Foi então que, apenas uma temporada depois, a Qatar Airways assumiu o espaço com o acordo multimilionário inédito.

Se o planejamento do Barça der certo, será bem bacana ver novamente o uniforme “imaculado” de uma equipe dessa magnitude. Te faz pensar em um tempo mais simples e romantizado do futebol, mesmo que de maneira apenas simbólica.

Mostrar mais

Leo Escudeiro

Apaixonado pela estética em torno do futebol tanto quanto pelo esporte em si. Formado em jornalismo pela Cásper Líbero, com pós-graduação em futebol pela Universidade Trivela (alerta de piada, não temos curso). Respeita o passado do esporte, mas quer é saber do futuro (“interesse eterno pelo futebol moderno!”).

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo