EspanhaItália

Umtiti tentará recuperar o prestígio no Lecce, emprestado pelo Barcelona

Aos 28 anos, zagueiro viveu uma sequência de lesões e perdeu espaço no Barcelona, ao ponto de ser criticado pelo baixo número de jogos

O zagueiro Samuel Umtiti enfim deixou o Barcelona, mas só de forma temporária. O zagueiro francês foi emprestado ao Lecce até o fim da temporada 2022/23 e tentará recuperar ao menos parte do prestígio que tinha como zagueiro de seleção, campeão do mundo como titular da França em 2018. A sequência de lesões que sofreu o tirou de campo por muitos jogos, o que o fez perder espaço e se tornar um problema no Barcelona.

Segundo o jornal AS, o Barcelona seguirá pagando por praticamente 100% do salário de Umtiti e o acordo divulgado pelos catalães informa que não há opção de compra. O Lecce só irá pagar ao Barcelona alguns bônus de acordo com o número de jogos que o francês fizer pela equipe.

Em um clube com tantos problemas financeiros quanto o Barcelona, Umtiti se tornou um problema porque o seu salário é de um zagueiro campeão do mundo, mas ele mal joga. A falta de interesse no jogador também complicou, somado a um outro problema: ele não queria abrir mão do seu salário alto para deixar o clube, o que é o seu direito. As propostas que chegavam pelo zagueiro esbarravam em seu salário.

Na última temporada, em 2021/22, Umtiti fez apenas uma partida: um jogo contra o Osasuna, que atuou os 90 minutos. Ficou uma sequência de jogos fora por uma fratura no dedo no pé e não atuou mais. Na temporada anterior, 2020/21, ele fez 16 jogos, mas com um número baixo de minutos, média de 51,7 minutos por partida. Em 2019/20, foram 18 jogos, com 1.316 minutos (média de 73,1 minutos por jogo).

A Copa forçada em 2018 e a sequência de lesões

Chegamos então à temporada 2018/19, quando o jogador entrou em campo 15 vezes, com 1.268 minutos (média de 84,5 minutos por jogo). Aquela foi a primeira temporada depois da Copa do Mundo de 2018, quando o jogador atuou sob efeitos de infiltrações no Mundial da Rússia. Certamente valeu a pena, porque Umtiti não só foi um destaque individual da França, como conquistou o título mundial, algo que ficará marcado. Ele era titular do Barcelona na temporada anterior, 2017/18, e era um ponto seguro do time.

O problema é que no final da temporada, já em maio de 2018, ele sofreu uma lesão no joelho. Em uma situação normal, ele ficaria fora da Copa. Para não ficar fora, ele jogou no sacrifício, tomando analgésicos, as famosas infiltrações. Ele jogou a Copa, mas quando voltou ao Barcelona, sentiu a consequência. Ele até começa a temporada, mas se machuca já em setembro e precisa operar o joelho. Fica fora até fevereiro do ano seguinte, sem conseguir uma sequência de jogos.

Apesar dos problemas físicos, apontados em relatórios da área médica do clube, o então presidente do Barcelona, Josep Maria Bartomeu, renovou o contrato do zagueiro recém-campeão do mundo com um salário e bônus altos, o que pesaria contra as finanças do clube mais adiante.

As lesões voltaram a atrapalhá-lo a partir de então, o que nunca mais permitiu que ele fosse um jogador confiável em termos de sequência. As críticas da torcida vieram, especialmente quando o jogador não queria sair do clube para recuperar o espaço. Assim, se tornou uma crise, que foi amenizada quando ele aceitou renovar o contrato na última temporada reduzindo o seu salário, mas aumentando o vínculo – ele tem contrato com o Barcelona até 2026.

Quem mais sai?

Com a saída de Umtiti, o Barcelona trabalha para a saída de Martin Braihwaite. O atacante reclama do tratamento que recebe do clube, não sem razão. Para resolver a questão, é possível que o Barcelona aceite rescindir o contrato com o jogador para que ele encontre outro clube. Ainda há a possibilidade também de saídas de Pierre-Emerick Aubameyang, que negocia com o Chelsea, e de Memphis Depay.

Foto de Felipe Lobo

Felipe Lobo

Formado em Comunicação e Multimeios na PUC-SP e Jornalismo pela USP, encontrou no jornalismo a melhor forma de unir duas paixões: futebol e escrever. Acha que é um grande técnico no Football Manager e se apaixonou por futebol italiano (Forza Inter!). Saiu da posição de leitor para trabalhar na Trivela em 2009, onde ficou até 2023.
Botão Voltar ao topo