EspanhaLa Liga

O Bernabéu pode se tornar o ‘Estádio Microsoft’. Vale?

O que surgiu como um boato agora é oficial. A Microsoft confirmou as negociações com o Real Madrid pela compra dos naming rights do Estádio Santiago Bernabéu. Os merengues planejam uma ampla reforma de sua casa e o dinheiro da corporação americana seria muito bem vindo para acelerar o andamento das obras. Mas será que vale a pena?

“A questão do estádio foi apresentada para nós, assim como para outras empresas. Temos excelentes relações com o Real Madrid. Eles utilizam nossa tecnologia, o que nos deixa muito orgulhosos. Além disso, assinamos um acordo com a Fundação Real Madrid na Espanha, na América do Sul e na Ásia”, declarou María Garaña, presidente da Microsoft na Espanha.

Além da Microsoft, Audi e Emirates também teriam sido contatadas pelo Real Madrid para a compra dos naming rights. Apesar disso, o presidente Florentino Pérez segue afirmando que o nome do estádio não mudará. Inaugurado em 1947, o estádio foi batizado de ‘Nuevo Chamartín’ e se chamou assim até 1955, quando os sócios decidiram homenagear o então presidente do clube, Santiago Bernabéu.

A maior questão sobre a mudança no nome do estádio está na torcida. A imprensa espanhola indica encampar a ideia, o que ajuda a justificar o investimento. Resta saber qual será a receptividade dos merengues para transformar o nome com quase 60 anos de tradição. As vantagens para o clube são óbvias, com mais dinheiro entrando em caixa e a modernização do Bernabéu. O problema é o desapego dos torcedores, em um debate que não costuma ter tanta abertura diante da tradição, como o Newcastle bem exemplificou meses atrás.

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo