La Liga

Zidane após derrota para o Barcelona: “Em agosto eles pareciam mortos e amanhã nós estaremos assim”

Zinedine Zidane vem de temporadas de muito sucesso no Real Madrid e uma certa lua de mel, mas na Espanha, como em qualquer lugar onde futebol é envolvido por muita paixão, uma derrota em clássico pesa muito. Ainda mais em casa. Ainda mais quando se trata de um Barcelona e Real Madrid. E Zidane sentiu na pele com uma dolorida derrota por 3 a 0 em pleno Santiago Bernabéu. O técnico teve seus erros, como seguir escalando Karim Benzema, muito mal mais uma vez, e demorar a colocar em campo Marco Asensio e Gareth Bale, candidatos a titulares nos próximos jogos. Isco nem foi a campo para dar lugar a Mateo Kovacic, uma escolha que ajudou no primeiro tempo, mas não funcionou no segundo.

LEIA MAIS: Barcelona derrubou o Real Madrid com contra-ataques mortais e Messi decisivo

“Começamos bem, tivermos oportunidades para marcar, não fizemos isso e logo cometemos um erro atrás no primeiro gol. Dói, é uma derrota que dói, é o que temos e o que nos toca hoje”, analisou Zidane após o jogo.

“Estamos mal, é uma derrota que dói no vestiário. Não vamos baixar os braços, o que temos que fazer agora é descansar bem, vamos voltar mais fortes que antes. O Real Madrid nunca se rende, aconteça o que acontecer. É um momento complicado, pela derrota, pelos três gols. Poderia dizer que não merecemos isso, mas isto é o futebol e hoje é o que temos”, disse Zidane.

O técnico analisou como as perspectivas mudaram em relação ao último encontro entre os dois times, em agosto, pela Supercopa da Espanha. Na época, o Barcelona vinha da crise da saída de Neymar e acabou derrotado por um Real Madrid muito superior nos dois jogos. Havia uma perspectiva que colocava o Real Madrid como grande favorito na Espanha, mas o Barcelona agora tem 14 pontos de vantagem na disputa de La Liga.

“Não estamos tão mal para que haja essa diferença de pontos. Por isso dói mais. O futebol muda rapidamente, eles pareciam mortos em agosto e amanhã nós estaremos assim. Quando você ganha, tudo é bonito, quando perde, está mal. Estamos mal”, afirmou Zidane.

“Quando jogamos bem, não marcamos, e quando eles jogam, marcam… Aqui está a diferença. O início do segundo tempo foi fatal para nós, baixamos fisicamente e eles começaram a tocar a bola”, afirmou Varane.

“No segundo tempo, tentamos fazer o mesmo que no primeiro. Mas jogar com o Barcelona implica correr muito e mentalmente também. Em nenhum momento nos desconectamos da partida. Perdemos, é uma tarde triste, mas temos que seguir. La Liga é muito difícil, mas o Madrid não se rende nunca. Temos que seguir e seguir fazendo o nosso, ter um pouco de sorte, continuar, não há mais remédio”, concluiu o lateral esquerdo Marcelo.

La Liga para na próxima semana para as festas de fim de ano e será retomada no dia 6 de janeiro, um sábado. O Real Madrid volta a campo no dia 7 de janeiro, contra o Celta, no Balaídos. O Barcelona joga no mesmo dia com o Levante, no Camp Nou.

Mostrar mais

Felipe Lobo

Formado em Comunicação e Multimeios na PUC-SP e Jornalismo pela USP, encontrou no jornalismo a melhor forma de unir duas paixões: futebol e escrever. Acha que é um grande técnico no Football Manager e se apaixonou por futebol italiano (Forza Inter!) desde as transmissões da Band. Saiu da posição de leitor para trabalhar na Trivela em 2009.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo