La Liga

Zaza fez três e, com goleada, o Valencia parece cada vez mais maduro para recuperar seu brio

O  Valencia fez um mercado de transferências bastante interessante nesta temporada. Sem precisar torrar milhões, os Ches buscaram bons jogadores, especialmente por empréstimo. Além disso, a equipe aposta fortemente em suas categorias de base, com jovens talentos ganhando espaço. E Marcelino Toral é um ótimo técnico à frente do elenco, capaz de fazer os sonhos voltarem ao Mestalla. Nesta terça, o Valencia escancarou suas qualidades. Tudo bem que o Málaga atravessa um péssimo momento, com quatro derrotas nas quatro rodadas anteriores, mas a maneira como os anfitriões golearam os blanquiazules é emblemática. Triunfo por 5 a 0, com destaque para a tripleta de Simone Zaza.

Não demorou para que o Valencia abrisse a contagem no Mestalla. Aos 17 minutos, Santi Mina acertou uma bela cabeçada no canto, sem chances de defesa para Roberto Jiménez. O Málaga tentou responder em arremate de Diego Rolán, que parou em milagre do goleiro Neto. De qualquer forma, os Ches eram melhores. Se o segundo gol não saiu, foi mais por incompetência de Zaza, que se enrolou com a bola e desperdiçou uma chance incrível. O italiano deu socos no gramado de raiva, mas se redimiu no segundo tempo.

A zaga do Málaga contribuiu, falhando demais. E, apresentando todo seu oportunismo, Zaza marcou três gols em apenas oito minutos, entre os 10 e os 18 minutos da etapa complementar. Em dois lances, apareceu praticamente do nada para concluir com liberdade. Em outro, ganhou do adversário na dividida e fuzilou. Foi a primeira tripleta do italiano desde que chegou ao Mestalla, justificando ao menos um pouco dos €16 milhões pagos em sua contratação definitiva. Por fim, Gonçalo Guedes deu um passe de calcanhar fabuloso para Rodrigo Moreno fechar a conta no fim.

O Valencia aparece temporariamente na terceira colocação, com nove pontos em cinco rodadas. Empatou em excesso, mas já conseguiu segurar Real Madrid e Atlético de Madrid. Além disso, o time apresenta um bom equilíbrio entre ataque e defesa. Depois de temporadas claudicantes, sofrendo para se distanciar da parte inferior da tabela, os Ches ganham confiança para um ano bem mais tranquilo. E, por estas primeiras amostras, capaz de brigar pelas competições europeias novamente.

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo