La Liga

Os 11 momentos memoráveis de Neymar com a camisa do Barcelona

Acabou a história de Neymar com o Barcelona. O clássico contra o Real Madrid, nos Estados Unidos, foi o último capítulo de mais um craque brasileiro brilhando de azul-grená. Sua passagem pela Catalunha foi mais curta do que se imaginava, mas quatro anos foram o bastante para que ele gravasse o seu nome na história do clube e encantasse a apaixonada torcida espanhola.

LEIA MAIS: Quem o Barcelona deveria contratar para o lugar de Neymar? Veja algumas opções

Para combinar com a camisa que ele usou, separamos 11 momentos memoráveis de Neymar com a camisa do Barcelona.

Chegando com os refrii, rapaziada !!

Neymar estreou pelo Barcelona na Polônia. Era um amistoso contra o Lechia Gdansk, no qual entrou aos no segundo tempo para matar a ansiedade e soltar as pernas. Deu uns dribles, fez umas graças e sofreu quatro faltas em 16 minutos em campo. A primeira partida oficial foi contra o Levante, na goleada por 7 a 0 que abriu o Campeonato Espanhol de 2013/14, entrando no lugar de Alexis Sánchez. Aliás, foi reserva durante três partidas antes de assumir seu lugar na ponta esquerda. O primeiro gol saiu no segundo jogo, contra o Atlético de Madrid, na Supercopa da Espanha.

O primeiro encontro com o arqui-inimigo

Quando o Real Madrid cruzou o caminho de Neymar pela primeira vez, ele já estava mais habituado à Catalunha. Sabia onde ficava a agência de Correios mais próxima, o boteco com cerveja mais barata e tava quase decorando o seu CEP. Era outubro, décima rodada de La Liga. E não se intimidou diante do outro gigante espanhol. Abriu o placar, aos 19 minutos, tornando-se o único brasileiro que vestiu azul-grená a marcar em seu primeiro Superclássico.  Depois, ainda deu assistência para Sánchez fazer o segundo da vitória por 2 a 1.

Brilhou na Champions

Menos de dois meses depois, Neymar encarava o Celtic, pela última rodada da fase de grupos da Champions League, e deixou sua marca na competição europeia pela primeira vez. E pela segunda. E pela terceira. Mais solto no ataque, como “falso 9”, unificou os cinturões da Europa e da América do Sul, tornando-se o primeiro a anotar uma tripleta na Champions e na Libertadores. Os catalães venceram os já eliminados escoceses por 6 a 1 e avançaram tranquilamente às oitavas de final.

Nasce o trio MSN

Suárez foi contratado depois da Copa do Mundo de 2014, enquanto cumpria suspensão pesada da Fifa por ter cravado seus dentes no ombro de Chiellini. Portanto, sua estreia pelo Barcelona foi adiada até o final de outubro. Até o primeiro Superclássico da temporada, na nona rodada de La Liga. Foi nesse jogo que nasceu o trio MSN, a primeira vez que Messi, Suárez e Neymar atuaram juntos. Embora o uruguaio tenha dado assistência para o gol do brasileiro, o Real Madrid venceu por 3 a 1.

MAIS: O réquiem de um ataque encantador: Messi, Suárez e Neymar

Brilhou ainda mais na Champions

Neymar já havia feito excelentes apresentações, inclusive contra o Real Madrid, mas ainda faltava um desafio: ser decisivo no mata-mata da Champions League. Foi superado com louvor. O brasileiro comeu a bola, ironicamente, contra o Paris Saint-Germain, nas quartas de final da temporada da Tríplice Coroa, com três gols na eliminatória. Depois, guardou mais três nas semifinais diante do Bayern de Munique. Chegou a decisão contra a Juventus, e Neymar novamente deixou o seu nome escrito no placar. Marcou sete vezes nos cinco jogos mais importantes da caminhada europeia do Barcelona. Subiu de patamar.

Melhor sequência da carreira

Neymar terminou aquela temporada em estado de graça. De 11 de abril até o último jogo, contra a Juventus, marcou 13 gols em 14 partidas, incluindo uma sequência de sete confrontos seguidos colocando pelo menos uma bola na rede. E olha que seis, sequência alcançada contra a Real Sociedad, já era a melhor da sua carreira.

O cara sou eu

Sem Messi, Neymar seria o cara do Barcelona? Uma indicação de que a resposta é “sim” veio no final de 2015, quando o argentino se machucou, no final de setembro, em uma partida contra o Las Palmas, e ficou oito jogos afastado, além de disputar apenas 34 minutos do clássico contra o Real Madrid, seu primeiro jogo depois de recuperado. E a equipe de Luis Enrique não vivia um momento coletivo dos mais brilhantes. Neymar assumiu a responsabilidade e comandou a equipe, com dez gols e seis assistências nesse período, inclusive quatro tentos contra o Rayo Vallecano. Passou o bastão de volta ao argentino com um gol e um passe decisivo na goleada por 4 a 0 sobre o Real, em pleno Bernabéu.

Nossa Senhora!

No jogo imediatamente anterior à goleada contra o Real Madrid, Neymar marcou o seu gol mais bonito com a camisa do Barcelona. Contra o Villarreal, dominou passe de Suárez, deu um chapéu, girou e bateu de primeira. Como narrou Paulo Andrade, da ESPN Brasil: Nossa Senhora!

O terceiro melhor do mundo

Como Romário, Ronaldo, Ronaldinho Gaúcho e Kaká, Neymar ambiciona vence o prêmio de melhor jogador do mundo. Dizem, inclusive, ter sido um dos motivos para sua saída do Barcelona porque ele calcula que será impossível ser consagrado enquanto for companheiro de equipe de Lionel Messi. Foi progredindo: 13º colocado no prêmio de 2012; quinto, em 2013; depois sétimo, em 2014. Até chegar mais perto do topo, em 2015. Com 7,86% dos votos, ficou em terceiro lugar, atrás de Cristiano Ronaldo e Messi. O melhor entre os humanos.

Neymar, terceiro colocado da Bola de Ouro de 2015 (Foto: Getty Images)
Neymar, terceiro colocado da Bola de Ouro de 2015 (Foto: Getty Images)
A incrível remontada

O árbitro deu a sua inestimável ajuda ao Barcelona, mas foi Neymar quem fez os companheiros acreditarem que era possível eliminar o Paris Saint-Germain, depois dos 4 a 0 que o novo clube do brasileiro impôs no jogo de ida. Neymar marcou de falta, aos 43 minutos do segundo tempo, de pênalti, três minutos depois, e no finzinho da partida deu o passe para o gol decisivo de Sergi Roberto, selando a vitória por 6 a 1 e a classificação dos catalães.

100 gols

No segundo dia de abril, deste ano, o Barcelona goleou o Granada por 4 a 1, uma daquelas vitórias burocráticas dos catalães pelo Campeonato Espanhol. Mas foi um jogo significativo para Neymar: Suárez abriu para Alcácer cruzar, e o brasileiro marcou seu centésimo gol, em 177 partidas com a camisa azul-grená. Apenas quatro jogadores precisaram de menos jogos, e apenas três eram mais jovens quando alcançaram a marca centenária.

Mostrar mais

Bruno Bonsanti

Como todo aluno da Cásper Líbero que se preze, passou por Rádio Gazeta, Gazeta Esportiva e Portal Terra antes de aterrissar no site que sempre gostou de ler (acredite, ele está falando da Trivela). Acredita que o futebol tem uma capacidade única de causar alegria e tristeza nas mesmas proporções, o que sempre sentiu na pele com os times para os quais torce.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo