Champions LeagueLa Liga

Dez atuações mágicas de Isco, o grande “reforço” do Real Madrid para a temporada de ouro

Durante muito tempo, prevaleceu a sensação de que Isco não tinha atingido o seu máximo potencial pelo Real Madrid. O prodígio que encantava desde a base do Valencia e que estourou no Málaga veio a peso de ouro, mas enfrentava dificuldades para se firmar como uma unanimidade no Bernabéu, um tanto quanto desligado e pouco produtivo. Diante da aproximação do fim de seu contrato, os rumores sobre uma possível transferência aumentaram, e o próprio meio-campista admitiu que “se não foi titular com três técnicos diferentes, o problema estava nele”. Maturidade imensa, que, não à toa, culminou no ápice de sua carreira. Esta nem foi a temporada na qual o espanhol acumulou mais minutos em campo com a camisa merengue. Mas certamente foi aquela em que mais gastou a bola, especialmente pela magnífica metade final de temporada que fez. Com atuações decisivas e muita classe, tornou-se um “reforço” que impactou bastante no sucesso merengue, com as conquistas da Liga e da Champions.

VEJA TAMBÉM: De reserva a protagonista entre galácticos, Isco virou peça-chave do Real Madrid de Zidane

Por vias tortas, a ausência de Gareth Bale ajudou Isco. Não que ambos não possam atuar juntos, como fizeram tantas vezes ao longo dos últimos anos – e inclusive algumas vezes no primeiro turno da Liga, diante da lesão de Casemiro, que tornava o espanhol nome frequente no 11 inicial. Entretanto, as idas constantes do galês ao departamento médico permitiram o redesenho tático do Real Madrid, com o camisa 22 atuando atrás dos atacantes. Foi quando atingiu o seu ápice, orquestrando a equipe.

A decisão de deixar Isco no banco durante o clássico contra o Barcelona, pelo segundo turno, foi considerada por muitos como um equívoco. Erro que não se repetiu na decisão em Cardiff, apesar do retorno de Bale. Zidane confiou no meia e não demorou a notar a escolha acertada. Por mais que o espanhol não tenha participado diretamente dos gols, sua influência foi inegável. Movimentou-se bastante, infernizou os marcadores da Juventus, abriu espaços com seus dribles. Deu combate, esforçando-se sem a posse. Sobretudo, botou a bola no chão, algo que se provou a ruína da defesa bianconera. A aceleração, a verticalidade e a capacidade de cair pelos dois lados do campo contribuíram demais para o funcionamento do time.

E este foi apenas o grand finale de uma temporada enorme de Isco. Os livros provavelmente exaltarão mais (e merecidamente) a fome implacável de gols de Cristiano Ronaldo, a intensidade de Marcelo e Carvajal no apoio, a liderança ratificada de Sergio Ramos, a importância da trinca de meio-campistas no equilíbrio merengue. Mas não poderão ignorar o que Isco fez em vários momentos das campanhas, proporcionando a dobradinha entre Liga e Champions, algo inédito na história moderna do Real Madrid.

Pelo Espanhol, Isco mostrou serviço quando necessário, seja entrando como titular, muitas vezes compondo a trinca de meias, ou liderando o “expressinho” de reservas – utilíssimo na reta final das campanhas, pela vontade evidente e para descansar os titulares rumo à Champions. Na vitória mais emblemática dos campeões, aliás, o camisa 22 jogou demais: os 3 a 0 sobre o Atlético de Madrid no Calderón, pelo primeiro turno, com tripleta de Cristiano Ronaldo. Talvez o ponto de virada para a melhor forma do camisa 22. Já no fim, desequilibraria nos dois últimos compromissos, ante Celta de Vigo e Málaga – saindo ovacionado de La Rosaleda, sua antiga casa. E pela Champions, teve preponderância também nos momentos derradeiros, sobretudo nos últimos três jogos. Decidiu contra o Atleti e dominou contra a Juve. Merece os devidos aplausos.

Para que a reta final de temporada fantástica de Isco não passe batida, relembramos aqui 10 grandes atuações individuais do camisa 22. Individuais, mas que potencializaram o coletivo do Real Madrid. E que, no fim das contas, renderam uma temporada vitoriosa como os madridistas não experimentavam desde 1958.

19/11/2016 – Atlético de Madrid 0x3 Real Madrid (Liga)

07/01/2017 – Real Madrid 5×0 Granada (Liga)

18/02/2017 – Real Madrid 2×0 Espanyol (Liga)

15/04/2017 – Sporting de Gijón 2×3 Real Madrid (Liga)

26/04/2017 – Deportivo de La Coruña 2×6 Real Madrid (Liga)

02/05/2017 – Real Madrid 3×0 Atlético de Madrid (Champions)

10/05/2017 – Atlético de Madrid 2×1 Real Madrid (Champions)

17/05/2017 – Celta de Vigo 1×4 Real Madrid (Liga)

21/05/2017 – Málaga 0x2 Real Madrid (Liga)

03/06/2017 – Real Madrid 4×1 Juventus (Champions)

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo