AlemanhaEspanhaMundo

Gerd Müller esteve próximo de ser contratado pelo Barça em 1972

Foram 40 anos de hegemonia. Os 85 gols marcados por Gerd Müller em 1972 pareciam insuperáveis até que Lionel Messi desafiasse o recorde. Ainda assim, o “Torpedo” sustenta uma média de gols superior à do argentino, distribuídos em partidas pelo Bayern Munique e pela seleção alemã. Uma contagem que, por pouco, também poderia ter incluído o Barcelona.

Müller esteve próximo de acertar sua transferência para o Barça em 1972/73, conforme revelou a Catalunya Ràdio na última semana. Os blaugranas iriam pagar 30 milhões de pesetas pela transferência e realizariam dois amistosos no Camp Nou contra o Bayern, nos quais a renda ficaria com o clube alemão.

“Firmamos o contrato ao meio-dia, restando apenas a revisão médica, o papel federativo e o visto das autoridades alemãs. Mas, durante a tarde, tudo se rompeu”, explicou Lluis Vilaseca, ex-dirigente blaugrana, encarregado de redigir o documento que confirmaria a compra.

O negócio acabou barrado justamente pelo governo alemão. Segundo o jornal catalão Sport, a proximidade da Copa do Mundo de 1974 foi o motivo que forçou as autoridades a negarem a venda do astro para o Barcelona. Sem Müller, os blaugranas foram buscar no ano seguinte outro craque: Johan Cruyff, que, ao menos indiretamente, tem sua influência no novo recorde estabelecido por Messi.

Confira os números de Gerd Müller em 1972:

Com o Bayern Munique
Bundesliga – 34 jogos, 42 gols
Copa da Alemanha – 6 jogos, 7 gols
Copa da Liga Alemã – 5 jogos, 12 gols
Copa dos Campeões – 4 jogos, 10 gols
Recopa Europeia – 2 jogos, 1 gol

Com a seleção alemã
Eurocopa – 4 jogos, 5 gols
Amistosos – 3 jogos, 8 gols

Frequência dos gols
Um gol – 15 partidas
Dois gols – 12 partidas
Três gols – 8 partidas
Quatro gols – 3 partidas
Cinco gols – 2 partidas

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo