ArgentinaEspanhaMundo

A evolução dos números de Messi

A carreira de Lionel Messi pode ser divida em três momentos distintos. Em seus dois primeiros anos na equipe principal do Barcelona, o argentino se firmava com o técnico Frank Rijkaard. A partir de 2006, estabelecido entre os titulares, começava a tomar o protagonismo para si. E, com a chegada de Pep Guardiola, quando foi reposicionado e ganhou uma preparação física específica, atacante se estabeleceria como o melhor do mundo.

Os números ajudam a elucidar essa evolução de Messi. De 2004 para 2005, o garoto praticamente triplicou sua média de gols com um time, além de dobrar o número de partidas em que marcava ao menos um tento. Um novo salto seria visto em 2009, quando pela primeira vez na carreira passou dos 60 jogos e dos 40 gols, melhorando ainda mais as marcas nos dois anos seguintes. As excelentes condições físicas, inclusive, ajudam a explicar essa produtividade, perdendo apenas três partidas por contusão desde a temporada 2008/09.

Ainda assim, 2012 surge incomum até mesmo para um fora de série como Messi.  O artilheiro superou a barreira de um tento por jogo no ano e balançou as redes em dois terços das vezes em que esteve em campo. Sua média de gols aumentou 58% desde o último ano – uma taxa de crescimento inferior apenas à de 2006, quando passou a ser titular.

Mesmo representando parcela pequena dos jogos em 2012, o desempenho com a seleção argentina foi preponderante para a quebra do recorde. O rendimento com o Barcelona aumentou, mas não de forma tão significativa quanto com a Albiceleste. A média de gols, que nunca tinha passado de 0,42, chegou a 1,33. Além disso, o craque anotou um gol em 77,7% dos compromissos com a equipe nacional, bem mais que os 64,9% alcançados com o clube.

Números absolutos (Geral / Barcelona / Seleção)
2004 – 7 jogos, 0 gols / 7 jogos, 0 gols / 0 jogos, 0 gols
2005 – 22 jogos, 3 gols / 17 jogos, 3 gols / 5 jogos, 0 gols
2006 – 33 jogos, 12 gols / 26 jogos, 10 gols / 7 jogos, 2 gols
2007 – 55 jogos, 31 gols / 41 jogos, 25 gols / 14 jogos, 6 gols
2008 – 48 jogos, 22 gols / 40 jogos, 20 gols / 8 jogos, 2 gols
2009 – 64 jogos, 41 gols / 54 jogos, 38 gols / 10 jogos, 3 gols
2010 – 64 jogos, 60 gols / 54 jogos, 58 gols / 10 jogos, 2 gols
2011 – 64 jogos, 58 gols / 57 jogos, 54 gols / 13 jogos, 4 gols
2012 – 66 jogos, 86 gols / 57 jogos, 74 gols / 9 jogos, 12 gols

Médias de gols, de minutos e percentual de jogos com gols de Messi
2004 – 0 gols por jogo / 34 minutos por jogo / 0% dos jogos com ao menos um gol
2005 – 0,13 gols por jogo / 42,7 minutos por jogo / 18,1% dos jogos com ao menos um gol
2006 – 0,36 gols por jogo / 65,5 minutos por jogo / 36,3% dos jogos com ao menos um gol
2007 – 0,56 gols por jogo / 79,6 minutos por jogo / 40% dos jogos com ao menos um gol
2008 – 0,45 gols por jogo / 71,8 minutos por jogo / 37,5% dos jogos com ao menos um gol
2009 – 0,64 gols por jogo / 77,6 minutos por jogo / 48,4% dos jogos com ao menos um gol
2010 – 0,93 gols por jogo / 84,5 minutos por jogo / 53,1% dos jogos com ao menos um gol
2011 – 0,82 gols por jogo / 88,4 minutos por jogo / 52,8% dos jogos com ao menos um gol
2012 – 1,3 gols por jogo / 86,5 minutos por jogo / 66,6% dos jogos com ao menos um gol

O desempenho em 2012

Raros foram os meses em que Messi teve média inferior a um gol por jogo. Apenas em janeiro e em setembro o goleador esteve abaixo do número. Em compensação, ajudado pelo baixo número de compromissos, em maio e em junho o argentino registrou impressionante marca de dois tentos por confronto.

Ainda assim, nenhum período foi tão prolífico quanto a virada entre fevereiro e março. Na ocasião, Messi emendou nove partidas consecutivas fazendo o seu, acumulando 21 gols no período. Os quatro anotados contra o Valencia e os cinco em cima do Bayer Leverkusen ajudaram a turbinar os números naquelas semanas.

Gols por meses
Janeiro –
8 jogos / 7 gols
Fevereiro – 8 jogos / 10 gols
Março – 7 jogos / 13 gols
Abril – 8 jogos / 9 gols
Maio – 4 jogos / 8 gols
Junho – 2 jogos / 4 gols
Agosto – 5 jogos / 7 gols
Setembro – 7 jogos / 5 gols
Outubro – 7 jogos / 10 gols
Novembro – 7 jogos / 9 gols
Dezembro – 3 jogos / 4 gols

Sem jejuns

Outra marca significativa registrada por Messi em 2012 tem relação às séries de jogos sem marcar gols. O maior jejum vivido pelo artilheiro neste ano foi de três partidas em branco. Nos anos anteriores, ao menos uma vez o argentino ficou cinco compromissos ou mais sem balançar as redes.

Os piores momentos aconteceram no início da carreira. O prodígio demorou 14 jogos para anotar seu primeiro gol com a camisa do Barcelona, na maior seca pela qual já passou. Depois disso, foram mais 13 ocasiões nas quais Messi ficou sem marcar por cinco jogos ou mais, a última delas entre abril e maio de 2011.

Os maiores jejuns de Messi em 2012
Setembro a outubro – Granada, Sevilla e Benfica
Abril – Chelsea, Real Madrid e Chelsea
Janeiro e fevereiro – Real Madrid, Villarreal e Valencia

Falta a Copa do Mundo

Os números no Campeonato Espanhol foram fundamentais para Messi em 2012. Depois de quebrar o recorde de gols em uma só temporada, ao anotar 50 em 2011/12, o artilheiro manteve a toada em 2012/13, com expressivos 23 tentos em 15 rodadas. Porém, não é sempre que o blaugrana se dá bem nos torneios domésticos. A Copa do Rei é a única competição na qual a média é inferior a um gol por jogo.

Já no quadro geral de gols, a maior crítica contra Messi torna-se evidente. O torneio no qual o atacante registra sua pior média de gols é justamente a Copa do Mundo, seguida pela Copa América. Se o desempenho em grandes competições com a seleção argentina fica aquém do esperado, ao menos na Liga dos Campeões e em La Liga seus registros são bastante satisfatórios.

Gols por competição em 2012
La Liga – 36 jogos, 56 gols
Copa do Rei – 7 jogos, 3 gols
Supercopa da Espanha – 2 jogos, 2 gols
Liga dos Campeões – 12 jogos, 13 gols
Eliminatórias – 5 jogos, 5 gols
Amistosos internacionais – 4 jogos, 7 gols

Gols por competição na carreira
La Liga – 229 jogos, 192 gols
Copa do Rei – 33 jogos, 20 gols
Supercopa da Espanha – 9 jogos, 10 gols
Liga dos Campeões – 74 jogos, 56 gols
Supercopa da Europa – 3 jogos, 1 gol
Mundial de Clubes – 4 jogos, 4 gols
Copa do Mundo – 8 jogos, 1 gol
Copa América – 10 jogos, 2 gols
Eliminatórias – 30 jogos, 11 gols
Amistosos internacionais – 28 jogos, 17 gols

* Foram contabilizadas apenas as partidas oficiais pelo time principal do Barcelona e pela seleção adulta da Argentina 

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo