Espanha

18 dias que abalarão o mundo

Já era esperado, mas o sorteio realizado pela Uefa na última sexta oficializou: Barcelona e Real Madrid podem se enfrentar quatro vezes em menos de um mês. Mais que isso, são jogos importantes em três competições diferentes. Um que pode decidir o Campeonato Espanhol, um pela final da Copa do Rei e, talvez, dois nas semifinais da Liga dos Campeões. Uma overdose para deixar o mundo do futebol ligado no que ocorre na Espanha. E que pode mudar os resultados de alguns desses confrontos.

Um clássico como esse, que cada vez que ocorre se cerca de mais expectativa, é jogado mentalmente dias antes do pontapé inicial. Os técnicos imaginam os efeitos de cada estratégia, jogadores analisam seus oponentes, torcedores provocam os rivais. Quando a partida começa de verdade, todas essas preliminares se materializam. É um duelo único, que começa e termina em si próprio. Não há motivo para não fazer o melhor possível.

Nesse cenário, o Barcelona tem mostrado superioridade constrangedora sobre o Real Madrid nas últimas temporadas. Desde que Pep Guardiola assumiu o comando blaugrana, os catalães sempre conseguiram impor seu estilo de jogo e apequenar o Real. Não importasse qual estratégia, qual formação tática, qual esquema de marcação, os merengues escolhessem.

13/dez/2008 – Barcelona 2×0 Real Madrid
2/mai/2009 – Real Madrid 2×6 Barcelona
29/nov/2009 – Barcelona 1×0 Real Madrid
10/abr/2010 – Real Madrid 0x2 Barcelona
29/nov/2010 – Barcelona 5×0 Real Madrid
Obs.: todas as partidas foram válidas pelo Campeonato Espanhol

No entanto, será diferente no final de abril e começo de maio. Se Barcelona superar o Shakhtar Donetsk e o Real Madrid passar pelo Tottenham (dois resultados prováveis), os gigantes espanhóis se encontrarão em 16 de abril (La Liga), 20 de abril (Copa do Rei), 26 ou 27 de abril (Liga dos Campeões) e 3 ou 4 de maio (novamente LC). Uma série asfixiante, de duelos decisivos que se sobrepõem, em que as feridas de um encontro não são curadas antes do seguinte.

É um outro universo. Não basta se preparar melhor para 90 minutos. É preciso saber como dosar as forças, como blefar no momento certo para iludir o rival, ter versatilidade para buscar formas diferentes de vencer, saber trabalhar em longo prazo. E, eventualmente, lidar com os danos inevitáveis e ceder terreno sem perder o controle da situação. É até possível um dos times se dar bem nos três torneios em disputa, mas será mais coincidência. Não dá para entrar em todos os jogos com força total.

Nas últimas duas temporadas e meia, o Barcelona conseguiu cinco vitórias seguidas sobre o Real. Em apenas uma, o 1 a 0 de novembro de 2009, a superioridade catalã foi colocada em dúvida. Agora, porém, é praticamente impossível manter esse ritmo. Os merengues estão fortes, encorpados e já tratam uma vitória sobre o rival com nível de obsessão. E, ainda que os 5 a 0 do Camp Nou no final do ano passado impressionem, a diferença técnica entre as equipes não é tão grande.

Para o Real Madrid, o mais recomendável seria abrir mão do Espanhol. Uma vitória seria importante, mas o time continuaria em desvantagem diante do rival (e a tabela é ruim para os madridistas nas últimas rodadas). Mais prudente usar o jogo no Santiago Bernabéu, que abre essa série de clássicos, para estudar o rival. Aí, entrar com força na final da Copa do Rei, que pode garantir um título na temporada e dar confiança para encarar o possível encontro na Liga dos Campeões.

Os barcelonistas, em clara vantagem pela liderança em La Liga, pelas vitórias nos últimos clássicos e por ter um título europeu recente, podem esperar o Real mostrar suas armas para depois agir (ainda que o comportamento do time de Guardiola quase sempre seja o oposto, tomando a iniciativa). Nesse caso, o duelo pelo Campeonato Espanhol também é secundário. Uma derrota não compromete as chances de título do time, mas um desgaste desnecessário poderia atrapalhar o restante da série com o rival.

Ainda falta quase um mês para a primeira partida dessa sequência, mas os clubes já se preparam para posicionar suas peças. Nada pode ser encarado como coincidência, nem as denúncias de que o Barcelona seria beneficiado por um esquema de doping. Há muito em jogo e os dois times mais badalados no mundo no momento ainda estão tateando o terreno.

Mostrar mais

Equipe Trivela

A equipe da redação da Trivela, site especializado em futebol que desde 1998 traz informação e análise. Fale com a equipe ou mande sua sugestão de pauta: [email protected]

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo