Em treino realizado nesta quinta-feira, Vicente Del Bosque prometeu algumas novidades para o próximo jogo da seleção espanhola. Sergio Busquets compôs o miolo de zaga ao lado de Sergio Ramos, suprindo as lesões de Carles Puyol e Gerard Piqué. O recuo do blaugrana deixaria Xabi Alonso como único cabeça de área no 11 inicial. O merengue comporia o meio com Xavi e Santi Cazorla, que ganha uma chance após Andrés Iniesta ser poupado.

Del Bosque também deve utilizar Cesc Fàbregas como centroavante, acompanhado no ataque por Pedro e David Silva, deixando Fernando Torres no banco de reservas. A Roja enfrenta a seleção de Belarus fora de casa nesta sexta-feira, quatro dias antes de confronto decisivo com a França em Madrid, em jogos válidos pelas eliminatórias da Copa de 2014.

Nesta quinta, Fernando Torres creditou os sucessos recentes da seleção espanhola justamente à quantidade de jogadores de alto nível presentes no elenco. O atacante do Chelsea apontou que todos os jogadores à disposição de Del Bosque têm condições para compor o time titular, o que torna compreensível a permanência entre os reservas em algumas partidas.

“Creio que na seleção não jogam sempre os mesmos. Desde 2008 até agora, muito se mudou. Claro que é difícil deixar no banco jogadores que são bandeiras em seus clubes, mas aqui não são titulares. Temos 23 titulares e esta é a diferença da Espanha para os outros países”, afirmou.

Além disso, questionado sobre a ausência de Juan Mata, Torres comentou a dura concorrência por um lugar na equipe: “Chegar à seleção hoje em dia está muito difícil. Por sorte, temos muitos jogadores versáteis, que se adaptam a várias posições. Temos a grande sorte de contar com muito mais de 23 atletas capacitados. Aos que ficam de fora, sabemos o quão duro é. Porém, se outros jogadores deveriam estar aqui, isto é pergunta para Del Bosque”.