O roteiro dos jogos do Liverpool contra os grandes se repetiu. O time de Jürgen Klopp foi novamente muito bem contra um adversário grande, desta vez o Manchester City no estádio Etihad, casa do adversário. Só que o resultado acabou sendo um empate por 1 a 1, com um festival de gols perdidos. Mesmo com só um gol de cada lado, o que mais se viu foram chances para esse placar aumentar. Não aconteceu porque os jogadores foram muito mal nas finalizações. Com o empate, os dois times lamentam a perda da oportunidade de pular à frente.

LEIA TAMBÉM: Guardiola compara Manchester City com seleção inglesa e diz que precisa de tempo

A atuação de Philippe Coutinho, mais uma vez, deixou a desejar. Destaque do Liverpool na primeira metade da temporada, o jogador fez uma partida apagada, bem longe do seu melhor nível. Os outros integrantes do bom ataque do Liverpool também não fizeram um grande jogo. Roberto Firmino errou muito nos ataques, seja na construção deles ou nas finalizações. Sadio Mané se apresentou muitas vezes para o jogo, mas também errou muito mais que acertou.

No lado do City, os jogadores também tiveram um desempenho abaixo do que poderiam. Sergio Agüero foi o autor do gol do time, mas desperdiçou muitas chances de virar o jogo em favor dos Citizens. Kevin de Bruyne fez o passe para o gol de Agüero, mas esteve longe do jogador que tantas vezes brilhou com a camisa azul clara do time de Manchester. Raheem Sterling foi outro a tentar muito e acertar pouco.

Os acertos dos gols vieram de formas diferentes. O do Liverpool veio com um bom lançamento de Emre Can para Firmino, que dominou no peito e estava dentro da área em boa condição. O lateral Gael Clichy, que escorreu na hora do lançamento, chegou de forma atabalhoada para marcar o brasileiro e fez a falta. Pênalti marcado pelo árbitro Michael Oliver. James Milner, improvisado mais uma vez na lateral esquerda, cobrou muito bem para marcar 1 a 0, aos seis minutos.

O empate do City veio aos 24 minutos. Fernandinho, que começou o jogo na lateral direita, estava no meio-campo e fez um belo lançamento no lado direito para De Bruyne. O belga dominou bem e cruzou rasteiro para Agüero chegar batendo de primeira, vencendo a marcação de Ragnar Klavan, até então muito bem no jogo. Foi tudo que os times conseguiram acertar. Daí em diante, os dois passaram a perder gols aos montes.

O jogo, no fim, acabou sendo mesmo equilibrado. Lallana perdeu a melhor chance do jogo em uma bola livre, no meio da área, só com o goleiro à frente em um passe para trás de Roberto Firmino. Agüero, por sua vez, desperdiçou ao menos duas grandes chances, claras, para marcar. De Bruyne também mandou uma bola na trave em uma chance que teve perto do gol.

Os dois times fizeram o bastante para vencer, mas nenhum foi competente o bastante para isso. Um retrato, aliás, das duas temporadas dos times. O Liverpool mostrou futebol em alguns momentos da temporada que poderia competir com qualquer time, mas falta consistência. O Manchester City também já teve grandes momentos e ótima apresentações, mas falta ter resultados de forma mais consistente.

Foi um grande jogo entre duas equipes que atacaram muito, se expuseram e jogaram bom futebol. Individualmente, tivemos poucos destaques. Coletivamente, as duas equipes renderam bem e poderiam ter saído de campo com a vitória. O fato de não terem saído tem a ver com a falta de alguém que se destacasse a ponto de decidir o jogo. Vários foram candidatos, ninguém agarrou a chance de ser o protagonista a dar três pontos à sua equipe.

Assim, os dois times, de certa forma, decepcionam.Candidatos ao título, hoje estão tão distantes que se terminarem dentro dos quatro primeiros já será motivo para comemorar. O Manchester City chegou a 57 pontos e é o terceiro, seguido pelo próprio Liverpool com 56. O Manchester United tem 52, com Arsenal logo atrás com 50 pontos – mesma pontuação do Everton.

Se espera mais futebol de Manchester City e Liverpool. E os dois possivelmente terão que mostrar isso ao longo do resto da temporada. A disputa pelas quatro vagas inglesas à Champions League será muito intensa.

PS: se você não entendeu a referência do “Errou!” do título, recomendamos este vídeo aqui.