Um erro da tecnologia da linha do gol, que nunca havia acontecido em mais de 9.000 jogos, prejudicou o Sheffield United, enquanto o goleiro Dean Henderson, no outro lado, impediu que o Aston Villa tirasse o zero do placar, e o primeiro jogo do retorno da Premier League terminou em 0 a 0.

A partida e o clássico entre Manchester City e Arsenal haviam sido adiados por causa da final da Copa da Liga Inglesa, entre Villa e City, e estão sendo realizados antes da primeira rodada cheia pós-pandemia para que todos na tabela alcancem os 29 jogos.

O Aston Villa foi o time mais perigoso do primeiro tempo, especialmente nas bolas paradas. Henderson fez a primeira boa defesa, em sobra de escanteio que Conor Hourihane pegou com um chute cruzado. Aos 11 minutos, em outro canto, Kortney Hause cabeceou na segunda trave e Keinan Davis subiu no outro lado, mas mandou para fora.

Também da bola parada saiu o lance mais impressionante do jogo – pelos motivos errados. A cobrança de falta saiu da esquerda, direto às mãos de Orjan Nyland. Cercado de jogadores, Nyland se desequilibrou e acabou entrando com bola e tudo. As imagens são claras. O goleiro até chega a encostar a bola na parte interna de sua trave esquerda.

Todos esperaram que o relógio do árbitro Michael Oliver apitasse confirmando o gol, mas isso não aconteceu. Quer dizer, segundo a Sky Sports, aconteceu apenas quando a arbitragem já estava nos vestiários para o intervalo.

Segundo a Hawk-Eye, empresa responsável pela tecnologia da linha do gol, aconteceu um fato inédito em mais de 9.000 jogos em que o sistema foi usado: todas as sete câmeras utilizadas pelo sistema, nas arquibancadas e ao redor da meta, estavam obstruídas pelo goleiro, o defensor e as traves.

“O sistema foi testado e estava funcionando antes do começo da partida, de acordo com as regas da International Board, e os árbitros confirmaram que estava funcionando. O sistema permaneceu funcionando ao longo do jogo”, disse a empresa, em uma nota. “A Hawk-Eye pede desculpas à Premier League, ao Sheffield United e a todos afetados pelo incidente”.

A questão é se o assistente de vídeo deveria intervir. A situação, em que um sistema de tecnologia está à disposição para compensar a falha de outro, é praticamente inédita, e o do Hawk-Eye não costuma dar motivos para dúvida. No entanto, houve mais de um minuto entre o lance e o recomeço da partida, período em que a televisão mostrou imagens claras de que a bola havia ultrapassado a linha, tempo suficiente para o VAR pelo menos pedir alguns minutos para uma revisão mais detalhada.

No segundo tempo, Henderson voltou a trabalhar muito bem. Aos sete minutos, Matt Targett cruzou da esquerda, Keinan Davis dominou bateu para ótima intervenção do goleiro. Pouco depois, John McGinn, de volta ao Villa depois de uma séria lesão na época do Natal, bateu de canhota de fora da área, e Henderson espalmou.

O empate não foi excelente para ambos. O Aston Villa sairia da zona de rebaixamento em caso de vitória, mas segue na vice-lanterna, agora um ponto atrás de Bournemouth, Watford e West Ham.

O Sheffield United, agora sexto colocado a um ponto do Manchester United, teria pulado para quinto se tivesse feito um gol. Ou melhor, outro gol.

.

.

Classificação fornecida por SofaScore LiveScore