A histórica campanha que culminou na chegada inédita à final da Champions League dá a sensação de fim de ciclo ao trabalho de Mauricio Pochettino no Tottenham. Não no sentido de que seja o momento de ele partir, longe disso, mas, sim, de que as coisas deverão a partir de agora tomar um rumo diferente, para que uma nova história seja escrita. O mesmo é verdade para alguns jogadores. Christian Eriksen, um dos pilares do trabalho feito pelo técnico argentino nos Spurs, por exemplo, admitiu publicamente que está pronto para seu próximo desafio.

Em entrevista ao jornal dinamarquês Ekstra Bladet, Eriksen disse que não seria ruim permanecer no Tottenham, já que a instituição oferece quase tudo que ele poderia querer em um clube. Entretanto, ele foi o mais claro possível: “Sinto que estou em um estágio na minha carreira em que gostaria de tentar algo novo”.

O meio-campista comunicou isso ao Tottenham. Com apenas um ano de contrato restante, seria pouco inteligente por parte do clube deixar que o vínculo chegasse ao fim, já que perderia a oportunidade de lucrar com uma venda do seu jogador. Portanto, existe a grande possibilidade de que Eriksen saia já nesta janela de transferências. Mas mesmo o relógio apertado não deve amolecer o coração de Daniel Levy nas negociações.

O presidente do Tottenham, segundo o jornal Guardian, teria estabelecido o preço que outras equipes teriam que pagar para levar sua estrela: £ 130 milhões. O dirigente é conhecido por dificultar toda e qualquer negociação de venda de seus jogadores. Não deverá ser diferente com Eriksen, mesmo com as circunstâncias complicando o lado do clube do norte de Londres em uma eventual negociação – a simples declaração pública de um jogador de que deseja sair costuma diminuir seu valor no mercado.

O jogador deixa claro que o Tottenham lhe oferece condições de jogar o futebol que quer e que, portanto, qualquer transferência agora precisaria ser um passo adiante em sua carreira, um clube de estatura claramente maior que o Tottenham. Real Madrid? “O Real Madrid é um passo adiante, mas o Real Madrid precisaria pegar o telefone e contatar o Tottenham e dizer que querem o Christian. E isso eles não fizeram, até onde eu sei”, disse o meio-campista.

“Tudo depende do Daniel Levy, e precisa haver outro clube também. Ou então eu vou me sentar na mesa e negociar um novo contrato. Não dá para eu mesmo estipular uma data. Não existem muitos requisitos que o Tottenham não cumpre, então teria que ser um passo adiante.”

Eriksen, do Tottenham

Christian Eriksen já foi procurado por outras equipes no passado. O agente do jogador, Martin Schoots, disse ao jornal inglês Evening Standard que, na temporada passada, três clubes (dois ingleses e um de outro país) mostraram interesse em pagar uma fortuna pelo meio-campista, mas que Daniel Levy barrou completamente a transferência, enquanto o próprio jogador não tinha um forte desejo de sair. Schoots, no entanto, encerra sua declaração dizendo que “tenho a impressão de que estamos em uma nova situação agora”.

Como falamos acima, o momento é de mudança de ciclo no Tottenham. De acordo com o Guardian, Pochettino vem conversando com Levy para estabelecer as bases do “próximo capítulo” do clube, como definiu o argentino. Ele desejaria renovar o elenco para poder dar um passo adiante a partir do sucesso que alcançou nos últimos quatro anos. No entanto, com o recém-inaugurado estádio para pagar e considerando a figura de Levy, ele sabe que o dinheiro estará apertado e que talvez precise vender jogadores para financiar qualquer nova chegada.

Pelo lado de Eriksen, o jogador não descarta a permanência mesmo sem renovação de contrato, jogando até o fim de seu vínculo atual. O jogador diz que, se as ofertas que chegarem não o empolgarem, ele ficaria no Tottenham, possivelmente até além de 2020. “Se então eu assinar um novo contrato, isso dependerá das condições.”

Eriksen está muito possivelmente no auge de sua carreira. Aos 27 anos e titular absoluto do time que fez histórica campanha na Champions League, tem poder de barganha para negociar com qualquer outra equipe ou mesmo os Spurs – conhecido por sua austeridade nos salários. O jogador deseja resolver o quanto antes seu futuro, e talvez isso apresse mais as coisas. De qualquer forma, parece o tipo de situação em que todos têm a ganhar: se ficar, com boas condições individuais, Eriksen é um forte pilar para esse próximo capítulo do clube. Se partir, com um presidente como Levy, deverá gerar receita o bastante para que Pochettino faça sua mágica de garimpo e encontre os jogadores necessários para manter o Tottenham no patamar que alcançou.