Quando os sorteios das oitavas de final da Concachampions foram realizados, no fim do último ano, tudo parecia destinado a quatro equipes da Major League Soccer se classificarem para enfrentar quatro mexicanos na fase seguinte. O que acontece, porém, é muito diferente do esperado, mostrando que a crise no futebol afeta não apenas a seleção americana, mas também os times da principal liga do país.

Cinco clubes da MLS entraram nas oitavas de final. Um confronto, porém, acabou acontecendo com duas equipes da mesma liga, já que o Toronto FC está na competição por conquistar o título do Campeonato Canadense, enfrentando assim o Colorado Rapids. Todas as outras equipes da MLS encaram equipes de países menores da América Central. O FC Dallas encarou o Tauro, do Panamá; o New York Red Bulls pegou o Olimpia, de Honduras; e o Seattle Sounders teve o Santa Tecla, de El Salvador, pelo caminho.

Adversários tranquilos, pelo menos na teoria, pois na prática eles colocaram os americanos em uma situação embaraçosa. Sem problemas, comandado por Giovinco e Altidore, o Toronto FC eliminou o Colorado Rapids e avançou para encarar o mexicano Tigres na próxima fase. Para muitos, a final antecipada do torneio, por reunir duas das melhores equipes do continente. Apesar de cumprir o primeiro objetivo, o atual campeão da MLS terá uma missão dura pela frente tendo que provar sua capacidade.

O FC Dallas tem a proposta de apostar em talentosos jovens latinos, mas não foi tão bem na última temporada da Major League Soccer. Sua vaga veio pelo título da US Open Cup de 2016 (!!!). E o time conseguiu a grande decepção da MLS até aqui. Foi eliminado pelo Tauro, do Panamá, depois de perder o primeiro jogo por 1 a 0 e vencer o segundo, nos Estados Unidos, por 3 a 2. O pior de tudo foi jogar em casa e ficar atrás do placar duas vezes, sempre em estranhas falhas defensivas, e não conseguir reagir.

New York Red Bulls e Seattle Sounders tiveram dificuldades contra Olimpia, de Honduras, e Santa Tecla, de El Salvador, respectivamente. Atuando fora de casa, as duas equipes saíram na frente do placar, mas tropeçaram contra adversários bem mais fracos. Os times americanos precisaram do jogo de volta para definir seus confrontos. O NY Red Bulls venceu por 2 a 0 e vai encarar o Tijuana nas quartas de final enquanto o Seattle Sounders, mesmo sem atuar bem, fez 4 a 0 no Santa Tecla e pega o tradicional Chivas Guadalajara na próxima fase.

A temporada 2018 da Major League Soccer começa apenas neste fim de semana, então os jogos da Concacaf Champions League foram os primeiros oficiais das equipes neste começo de ano. Até agora, eles estavam em pré-temporada – foi, inclusive, a desculpa do técnico do Colorado Rapids pela eliminação da equipe no torneio continental. E esse talvez seja o grande problema da MLS, arrumando cada vez mais desculpas, uma mais esfarrapada que a outra, para justificar seus fracassos e a perda de território para países de menor expressão no futebol da América do Norte e Central.

O vexame da seleção americana em 2017, não conseguindo a vaga para a próxima Copa do Mundo, deveria ter ligado o alerta na Major League e na US Soccer, mas serviu apenas para ficar nos noticiários por alguns dias. Enquanto a maior entidade de futebol do país vive momentos de incerteza com a eleição se aproximando, o esporte tropeça nos Estados Unidos com os times sofrendo contra equipes de países pequenos e clubes de pouca expressão. Enquanto os times mexicanos avançam sem grandes sustos, mostrando o natural e esperado favoritismo, as equipe da MLS ainda sofrem contra adversários menores, mostrando como a fase seguinte, contra esses mesmos mexicanos, será uma missão praticamente impossível.