Equipe amadora da Ilha da Reunião, Saint-Pierroise faz história ao eliminar time da Ligue 2 na Copa da França

Clube se tornou o primeiro time ultramarino desde 1989 a ir até a fase de 16-avos de final da competição

A Inglaterra leva maior fama por sua copa nacional propiciar grandes zebras, mas, por ora, o mais improvável triunfo deste final de semana de Copa da Inglaterra e Copa da França veio mesmo desta última competição. No sábado (4), o Saint-Pierroise, time da Ilha da Reunião, fez história ao se tornar apenas a segunda equipe de um território francês ultramarino a avançar à fase de 16-avos de final da Copa da França, ao vencer o Niort, da Ligue 2, por 2 a 1.

[foo_related_posts]

A partida foi disputada na casa do Niort, já que, a partir da fase de 32-avos, todos os confrontos da competição precisam acontecer na França Metropolitana, ou seja, europeia. A distância viajada pelo clube de Saint-Pierre foi de mais de 9.300 quilômetros, basicamente a mesma que entre Paris e o sudeste brasileiro.

O primeiro tempo terminou sem gols, parte da estratégia delineada pelo técnico Christian Dafreville, que sabia o que estava fazendo.

“Sabíamos que eles não estavam indo muito bem e que a Ligue 2 era a prioridade deles. Tínhamos uma chance, eu tinha certeza disso. Pedi aos jogadores para segurarem no primeiro tempo para fazê-los duvidar”, explicou Dafreville.

De fato, o Niort tem muito mais com o que se preocupar na Ligue 2. O time do sudoeste da França terminou o primeiro turno na 18ª colocação, posição que, ao fim do campeonato, faria a equipe disputar uma repescagem para poder permanecer na segunda divisão.

O plano de Dafreville deu certo e tomou forma mais clara no segundo tempo. O experiente Gérard Hubert, de 39 anos, abriu o placar aos 14 minutos da etapa complementar. Quatro minutos depois, Gervais Randrianarisoa fez contra a própria meta e empatou para o Niort. Por fim, o garoto Ryan Ponti, de apenas 21 anos, apareceu aos 31 minutos do segundo tempo para decretar a impressionante vitória por 2 a 1.

Em entrevista após o jogo, Ponti destacou o sacrifício feito por ele e seus companheiros da equipe amadora em sua preparação para a partida, trazendo consigo também o lastro de uma campanha regional de sucesso.

“Acredito que ninguém se saiu melhor na ilha. Estamos aproveitando tudo isso também porque há muito sacrifício. Esta foi a nossa segunda viagem aqui, não tivemos férias, jogadores com filhos mal os viram nas últimas semanas.”

De fato, na Ilha da Reunião, ninguém foi melhor que o Saint-Pierroise. O clube, fundado em 1956, foi campeão da liga regional, da Copa da Reunião e da Copa Regional da França, esta última conquista lhe garantindo a classificação à Copa da França. Antes de enfrentar o Niort, passou ainda por Thaon, da National 3 Grand Est, e Jura Sud, da National 2, Groupe D, equipes amadoras da quinta e quarta divisões da França Metropolitana, respectivamente.

O feito do Saint-Pierroise igualou o do Geldar Kourou, única outra equipe de um território ultramarino a avançar à fase de 16-avos da Copa da França. A façanha do clube da Guiana Francesa aconteceu em 1989, mas, na fase seguinte, o Geldar foi eliminado pelo Nantes por um placar agregado de 11 a 0.

Último clube de Dimitri Payet antes do meia do Marseille ir para a Europa, ao Havre, aos 12 anos de idade, e última equipe da carreira de Florent Sinama-Pongolle, que até meses atrás defendia o clube da Reunião, o Saint-Pierroise tem ambição grande para a próxima fase. Seja ela pegando uma equipe mais possível de se bater ou enfrentando um gigante do futebol francês, pela honra e também pelo retorno que a visibilidade traria.

Qualquer que seja o resultado do sorteio que definirá os confrontos da fase de 16-avos, com partidas marcadas para 18 e 19 de janeiro, o Saint-Pierroise poderá voltar para sua ilha, a leste de Madagascar, com a cabeça mais do que erguida.