Entrevistas com Edno e Marcos Senna

No Futebol no Mundo desta segunda-feira, na Rádio Estadão ESPN, entrevistei dois personagens bem distintos. Primeiro Marcos Senna, volante de muita técnica e carreira de pouco destaque no Brasil e uma regularidade impressionante na Europa. Depois Edno, meia-atacante que foi jovem para o futebol europeu, não brilhou, retomou o rumo por aqui e agora tenta a sorte no México. Dois caminhos bem diferentes no futebol, assim como a atual realidade deles.

Rebaixado com o Villarreal, Marcos Senna optou por permanecer na equipe na segunda divisão e ajudá-los no acesso. Há dez anos no clube, o ex-jogador de Rio Branco-SP, América-SP, Corinthians, Juventude e São Caetano olhou para sua história ao definir a renovação por mais uma temporada com o Submarino Amarelo. Agora encara a segundona espanhola, após ter sido campeão com a Espanha na Euro de 2008.

Já Edno fez uma escolha ainda incomum entre jogadores brasileiros: foi para o endinheirado, mas pouco badalado entre os boleiros daqui, futebol mexicano. Defende o Tigres, de Monterrey, e já se diz bem adaptado ao país, apesar da pimenta e da violência da cidade. Lembrou também de sua passagem apagada por PSV, Viktoria Plzen-TCH e Wisla Cracóvia-POL, depois de ser revelado pelo Avaí.