Se você fosse jogar uma final de Champions League e pudesse escolher um jogador para reforçar o seu time entre Paul Scholes, Frank Lampard e Steven Gerrard? Michael Owen, ex-jogador da seleção inglesa e que atuou por Liverpool, Real Madrid e Manchester United, diz que não tem dúvida: Steven Gerrard. Todos eles foram companheiros em jogos pela Inglaterra, além de jogarem na Premier League a maior parte das suas carreiras.

Owen surgiu como um garoto prodígio no Liverpool, em 1996, onde ficou até 2004. Na Copa do Mundo de 1998, Owen brilhou pela seleção inglesa e assombrou o mundo com a sua velocidade no golaço que marcou contra a Argentina. Conquistou os títulos da Copa da Inglaterra (FA Cup) e Copa da Liga (esta duas vezes). Também conquistou a Copa da Uefa pelos Reds, onde foi companheiro de clube justamente de Steven Gerrard, que surgiu um pouco depois dele, em 1998. Jogou ainda pelo Real Madrid, Newcastle, Manchester United e encerrou a carreira pelo Stoke.

Em sua carreira pela seleção inglesa, de 1998 a 2008, foi companheiro de Paul Scholes e Frank Lampard, craques de Manchester United e Chelsea, respectivamente. Owen fez muitos elogios aos três, considerando todos jogadores de alto nível e até mesmo descrevendo Scholes como “um gênio”, mas coloca Gerrard um nível acima dos demais.

“Se você assiste Scholes no treinamento, você fica com o queixo caído”, afirmou Owen no podcast comandado por Jamie Carregher, outro ex-companheiro de Liverpool. “Ele pode olhar para um lado, você pensa que ele está indo por ali, e aí ele dá quase um giro reverso do outro lado da cabeça. Ele pode jogar a bola em uma moeda. Ele é um gênio total e absoluto”.

“Mas tem isso e existem os aspectos práticos reais de jogar em um campo grande, onde você precisa de tamanho, força, substância, capacidade de corrida, todas essas coisas. E se você jogar no um contra um, você contra você, Stevie contra qualquer um dos nomes que você citou, eu acho que ele os devoraria no jantar”, continuou Owen.

“Alguém como Scholes obviamente tem atributos diferentes. Eu digo, é inacreditável o modo como ele muda o jogo de ser um meio-campista bombardeador para um quarterback. Um gênio total”, descreveu o ex-atacante. “Frank Lampard, quem pode questionar sua capacidade de fazer gols e como ele tem cada centímetro da sua habilidade?”.

“Mas para mim, Stevie está em um nível diferente que qualquer coisa que eu vi ou com quem joguei e como você disse, eu não estou fazendo média, eu joguei com alguns grandes jogadores do Manchester United, Liverpool, Real Madrid, Inglaterra”, continuou.

“Vamos colocar desta forma. Se eu estou dizendo para amanhã voltar no tempo, você vai para a batalha agora, você vai jogar a final da Champions League, quem você escolhe? Steven Gerrard seria minha primeira escolha antes de qualquer outro”, declarou o ex-jogador.

Gerrard foi jogador do Liverpool de 1998 a 2015, quando deixou os Reds para jogar na MLS, pelo Los Angeles Galaxy. Ficou apenas um ano e meio no clube, antes de, definitivamente, encerrar a carreira em campo. Jogou pela seleção inglesa de 2000 a 2014 e disputou três Copas do Mundo. Começou a trabalhar como técnico nas categorias de base do próprio Liverpool, até que foi convidado para ser o treinador do Rangers, na Escócia, em 2018, onde está até hoje.

Paul Scholes faz parte da chamada “Turma de 92”, jogadores do Manchester United que surgiram em 1992 e da qual fazem parte também Gary Neville, Nick Butt, David Beckham e Ryan Giggs. Jogou toda sua carreira pelo Manchester United, de 1993 a 2011, quando se aposentou. Saiu da aposentadoria para voltar ao clube em 2012 e encerrou a carreira, definitivamente, em 2013. Jogou pela Inglaterra de 1997 a 2004. Chegou a trabalhar como técnico, mas atualmente é comentarista.

Frank Lampard surgiu no West Ham, em 1995, clube que defendeu até 2001. Foi neste ano que o Chelsea o contratou e ele fez história. Foram 13 anos defendendo os Blues, onde se tornou não só um jogador importante, como um líder. É o maior artilheiro da história do clube, mesmo sendo um meio-campista, com 211 gols.

Curiosamente, jogou também pelo Manchester City por uma temporada, 2014/15, emprestado, depois de acertar a sua ida para o New York City. Jogou por um ano e meio no Manchester City, até o fim de 2016, e se aposentou. Foi trabalhar como técnico e assumiu o Derby County e levou o time aos playoffs em 2018/19. Seu bom trabalho rendeu uma subida ao clube que o consagrou. É o atual técnico do Chelsea, tendo assumido antes do início da atual temporada, 2019/20.