Atualmente atravessando a metade da temporada, os clubes da Argentina estão contidos em suas contratações pensando no início da Copa Libertadores. A maior novidade no campeão River Plate é a compra definitiva de Juan Fernando Quintero. O Boca Juniors trouxe Iván Marcone e Jorman Campuzano, dois nomes animadores, mesmo sem tanto impacto. Time a se observar, o Rosario Central acertou o empréstimo de Jarlan Barrera, badalado com o Junior de Barranquilla, assim como de Agustín Allione. O San Lorenzo trouxe um pacotão de quatro jogadores do Atlético Nacional, além de Héctor Fértoli e Gino Peruzzi. Mais modesto, o Huracán chama a atenção ao buscar Lucas Barrios e o goleiro Antony Silva, enquanto o Talleres aposta no veterano Dayro Moreno. Ainda assim, por enquanto, o time a se observar no mercado está fora do torneio continental. O Independiente se aproveita dos amplos lucros assegurados com vendas recentes e ganha força, com negócios interessantes.

O acréscimo mais badalado ao elenco de Ariel Holan é o meio-campista Pablo Pérez. O capitão do Boca Juniors poderia ter erguido a taça da Libertadores no Bernabéu, mas acabou deixando os xeneizes. Por um momento, sua contratação foi dada como certa pelo Santos, até que ele optou por Avellaneda. Aos 33 anos, o veterano chega por empréstimo e não será exatamente um jogador para que o Independiente se monte ao redor. Ainda assim, segue em boa forma e adiciona muita tarimba, tentando encurtar distâncias no Campeonato Argentino e forte candidato a mais um título na Copa Sul-Americana.

Considerando seu próprio estilo de jogo, Pérez poderá ser útil ao Independiente. É um bom meio-campista ao técnico time de Ariel Holan. Além do mais, as condições da transferência também facilitaram o caminho ao Rojo, precisando apenas convencer o medalhão a se mudar para Avellaneda. Depois da saída de Maximiliano Meza para o Monterrey, era necessário adicionar jogadores com experiência internacional no setor. É mais um jogador de seleção a compor o grupo.

O nome mais animador, todavia, pode não ser muito conhecido do público. Cecílio Domínguez chega do América do México, em negócio fechado por €5,3 milhões. O ponta paraguaio de 24 anos foi revelado pelo Cerro Porteño e causou estrondo com o Ciclón, participando de boas campanhas internacionais. O sucesso o levou à seleção nacional e também provocou o interesse dos mexicanos. Nas Águilas, não se tornou titular absoluto, embora fosse um nome frequente em campo. Ainda assim, participou da conquista recente da Liga MX. Vem para ganhar espaço e ser protagonista em Avellaneda.

A venda de Emanuel Gigliotti ao Toluca deixa uma lacuna no comando de ataque do Independiente. Ainda assim, o time possui alguns jogadores interessantes no apoio, a exemplo de Fernando Gaibor e Martín Benítez. De certa maneira, Domínguez chega para ocupar o próprio espaço de Meza pelos lados do campo, mas com características diferentes. É um atleta bem mais incisivo e habilidoso que o antigo ídolo dos rojos, trazido com confiança para potencializar o jogo vertical de Ariel Holan.

O Independiente ainda busca se reposicionar no Campeonato Argentino. Terminou a primeira metade com 23 pontos, a três da zona de classificação à Libertadores e a 13 da liderança. Considerando que o rival Racing toma a ponta, o mercado movimentado acaba sendo uma maneira de responder aos vizinhos. La Academia até fez suas transferências nesta janela, com a compra definitiva de Nery Domínguez e a chegada do veterano Darío Cvitanich. Seu objetivo, de qualquer maneira, será manter o ritmo para buscar o título nacional – em uma temporada na qual estarão ausentes da Libertadores e já pegarão o Corinthians logo na estreia da Copa Sul-Americana. De alguma forma, o midiático mercado do Rojo espera se aproximar.