É comum usarmos a expressão “entrada criminosa” no futebol quando falamos de um ato violento no jogo. É uma hipérbole, mas no caso de Sandro Wieser, meio-campista do Aaurau, dá para usar entrada criminosa no sentido literal. O Zurich, clube que ele enfrentou no domingo, resolveu processar o jogador por um carrinho violento contra Gilles Yapi-Yapo, que levou à expulsão de Wieser.

MÚSICA: Sounders abusa do espírito de Seattle contra Dallas: hino tocado por guitarrista do Pearl Jam
ENSAIO: O Frankfurt concretizou a jogada ensaiada que os EUA não conseguiram
VÍDEO: Pequeno torcedor do Arsenal foi responsável pelo melhor minuto de silêncio do fim de semana

O jogador de 21 anos, que joga pela seleção de Liechtenstein, recebeu cartão vermelho direto por causa do carrinho que deu em Yapi-Yapo, que teve que sair de campo machucado. Segundo o Zurich, o jogador marfinense, de 32 anos, sofreu rompimento dos ligamentos anterior e interior, danos sérios na cartilagem, lesão no menisco e rótula rompida, além de hematomas na coxa.

O Zurich venceu o jogo por 1 a 0 e o clube divulgou comunicado nesta segunda-feira dizendo que levará a questão à justiça comum por considerar a jogada de Wieser uma agressão. O presidente do Zurich, Ancillo Canepa, entrou com procedimentos legais pela lesão causada por Wieser, que negou ter tido intenção de machucar o adversário e se desculpou nas redes sociais.  “Eu me arrependo totalmente do que aconteceu. Não houve absolutamente intenção da minha parte. Eu tive muitas experiências com lesões e eu não desejo isso a ninguém”, afirmou o jogador.

O carrinho de Wieser foi realmente muito violento e as consequências só não foram piores porque Yapi-Yapo não estava com o pé firme no chão. Se não, poderia ter encerrado a carreira do marfinense. Veja a entrada de Wieser e opine: ele merece ser processado por agressão?