A confusão iniciada durante o clássico entre Paris Saint-Germain e Olympique de Marseille, no domingo (13), está longe de acabar. O conselho disciplinar da Ligue 1 mal começou a analisar e a julgar a denúncia de Neymar contra Álvaro, zagueiro espanhol acusado de racismo pelo brasileiro, e agora tem uma outra reclamação em mãos: além de negar as afirmações de Neymar, o entorno do jogador do Marseille agora acusa o camisa 10 parisiense de insultos homofóbicos.

Em entrevista à rádio espanhola Onda Cero, José Rodri, agente de Álvaro, disse que o zagueiro “teve uma conduta irrepreensível em todos esses anos como jogador profissional. Ele jamais se envolveu em qualquer coisa parecida. Em nenhum caso ele usou expressões racistas contra Neymar”.

Indo além, Rodri apontou que Neymar dirigiu ao zagueiro do Olympique de Marseille insultos discriminatórios: “Há expressões homofóbicas contra o Álvaro que são igualmente pejorativas”. De fato, imagens divulgadas pela emissora espanhola Gol mais tarde vieram à superfície, mostrando Neymar chamando Álvaro de “puto maricón” perto do fim do primeiro tempo, pouco depois de denunciar para a arbitragem que o zagueiro teria sido racista.

O empresário de Álvaro, por fim, deu a entender que o estafe do jogador estaria pensando até mesmo em tomar medidas contra Neymar por fazer declarações que, aos olhos deles, seriam infundadas. “Nós nos reservamos o direito de recorrer aos mecanismos apropriados para salvaguardar a boa reputação de Álvaro”, explicou Rodri.

“Ele jamais teve problemas com ninguém. Não é agradável receber um milhão de tuítes com acusações e ameaças de morte. Tiraram fotos dele, do seu carro etc. Isso passa dos limites e é preciso parar. Para mim, isso é mais castigável”, completou o empresário.

Em declaração publicada pelo RMC Sport, da França, um tio de Álvaro, por sua vez, diz que, em vez de “mono” (macaco), como aponta Neymar, seu sobrinho teria chamado o brasileiro de “bobo”, que em espanhol seria algo como “estúpido”.

“As palavras que ele disse a Neymar foram ‘bobo’. Neymar o insultou constantemente durante o jogo. Disse a ele que ele ganhava quatro euros por ano, enquanto ele, Neymar, ganhava dez milhões. Se vemos por esse ponto de vista, são eles os racistas. O melhor amigo de Álvaro no Espanyol era o Caicedo, um jogador negro. Não sei se ele vai tomar alguma medida contra o Neymar. Agora, o Neymar tenta minimizar o caso, mas o mal já está feito. Ele é um pouco hipócrita.”

Por ora, o conselho disciplinar da Ligue 1 ainda não tomou uma decisão sobre quem deve ser punido e qual deve ser a punição. Álvaro corre risco de um gancho de até dez partidas pelos supostos insultos racistas, enquanto Neymar poderia pegar entre um a sete jogos por sua agressão. Com o surgimento das novas imagens que mostram o brasileiro proferindo insultos homofóbicos ao espanhol, sua punição poderia ser igual àquela que o zagueiro do Marseille corre o risco de sofrer.

De acordo com o regulamento da Federação Francesa de Futebol, está prevista uma sanção máxima de dez partidas para “palavras, gestos e/ou atitude visando uma pessoa em razão de sua ideologia, raça, etnia, religião, nacionalidade, aparência, orientação sexual, gênero ou deficiência”.