Entenda a divisão das sedes de 2018

Fifa anunciou neste sábado a escolha das 11 cidades-sede e os 12 estádios que sediarão a Copa do Mundo de 2018. A novidade ficou pela formação de "regiões"

A Fifa anunciou neste sábado a escolha das 11 cidades-sede e os 12 estádios que sediarão a Copa do Mundo de 2018. A novidade ficou pela formação de “regiões”, já que as distâncias continentais do país complicam muito a logística do torneio. No entanto, a entidade ainda não detalhou o funcionamento dessa ideia, mas, na teoria, imagina-se que na primeira fase as seleções atuem unicamente em determinada zona.

Foram criadas quatro “áreas geográficas”, utilizando as palavras da própria Fifa. A Central inclui dois estádios na capital russa, o Luzhniki e o novo do Spartak Moscou (que venceu, inicialmente, a concorrência com o do Dynamo); a Norte tem São Petersburgo e o enclave russo Kaliningrado; a Sul conta com Sochi e Rostov-na-Donu; já a Volga, nome de um dos principais rios do país, possui o maior número de cidades, com Nizhny Novgorod, Samara, Saransk, Volvogrado e Kazan (que receberá a Universíada em 2013). Sem local especificado aparece Ekaterimburgo, local mais à leste entre todas as sedes, na fronteira da Europa com a Ásia nos Montes Urais, mas ainda em território europeu – apesar de 3 mil km distante de Kaliningrado.

Um detalhe importante dessa lista é que somente uma entre as 11 cidades está localizada em um território autônomo. Esta é Kazan, capital do Tartaristão, república cuja maioria da população é muçulmana e não tem grande histórico de atritos com o Kremlin moscovita. Ou seja, protestos e problemas com ideias separatistas devem passar longe da Copa de 2018 – no mínimo o governo fará enorme esforço ou repressão para tal.

Foram excluídas da lista final Krasnodar, com dois times na primeira divisão russa, e Yaroslavl. A polêmica da vez foi justamente a exclusão da primeira cidade, que é a única ao lado de Moscou que tem ao menos dois representantes na elite do futebol russo. Enquanto isso, Ekaterimburgo tem apenas um time na segunda divisão… Fora Sochi, que apesar do legado olímpico (sediará a próxima Olimpíada de Inverno, além da Fórmula 1), não tem nem futebol.

Abaixo, um resumo de cada uma das sedes que receberão os 64 jogos do Mundial de 2018.

MOSCOU
População: 11.503.501 habitantes
Estádios: Luzhniki, 89.319 torcedores (reformado) e Spartak, 46.990 torcedores (em construção)
Times: CSKA, Spartak, Dynamo, Lokomotiv, Torpedo (2ª)

SÃO PETERSBURGO
População: 4.879.566 habitantes
Estádio: Zenit, 69.500 torcedores (em construção)
Times: Zenit, Petrotrest (2ª), Rus (3ª) e Piter (3ª)

KALININGRADO
População: 431.402 habitantes
Estádio: Kaliningrad, 45.015 torcedores (novo)
Time: Baltika (2ª)

ROSTOV-NA-DONU
População: 1.089.261 habitantes
Estádio: Rostov-na-Donu, 43.702 torcedores (novo)
Times: Rostov e SKA Rostov-na-Donu (3ª)

SOCHI
População: 343.334 habitantes
Estádio: Fisht Olímpico, 47.659 torcedores (em construção)
Time: não tem*

NIZHNY NOVGOROD (antiga GORKY)
População: 1.250.615 habitantes
Estádio: Nizhny Novgorod, 44.899 torceores (novo)
Times: Volga e Nizhny Novgorod (2ª)

SAMARA
População: 1.164.896 habitantes
Estádio: Samara, 44.918 torcedores (novo)
Time: Krylya Sovetov

SARANSK
População: 297.425 habitantes
Estádio: Yubileyniy, 45.015 torcedores (em construção)
Time: Mordovia

KAZAN
População: 1.143.546 habitantes
Estádio: Novo Rubin Kazan, 45.000 torcedores (em construção)
Time: Rubin

VOLVOGRADO (antiga STALINGRADO)
População: 1.021.215 habitantes
Estádio: Central, 45.015 torcedores (reformado)
Times: Rotor (2ª) e Olimpia (3ª)

EKATERIMBURGO
População: 1.350.136 habitantes
Estádio: 44.130 torcedores (reformado)
Times: Ural Sverdlovsk Oblast (2ª)

Distribuição geográfica das 11 sedes da Copa do Mundo de 2018

*Apenas para explicar melhor a situação de Sochi: nos últimos anos, a pedido de Vladimir Putin, a cidade passou a investir no time local, o Zhemchuzhina Sochi. No entanto, os investimentos foram tão mal feitos que, na temporada passada, o clube faliu durante a disputa da segunda divisão.