A rodada do final de semana na Copa da Ásia deixou bem claro: os favoritos não deverão ter vida fácil no torneio continental. Os Emirados Árabes Unidos sofreram para arrancar o empate contra o Bahrein, a Síria não saiu do zero diante da Palestina, a atual campeã Austrália perdeu para a Jordânia – sem contar a inesperada goleada da Índia sobre a Tailândia. Por isso mesmo, a vitória do Irã nesta segunda-feira reafirma a qualidade dos comandados de Carlos Queiroz. Tudo bem, o Iêmen é um dos piores times da competição e já se deu por satisfeito com a classificação à fase final – em denso contexto político que envolve o país. De qualquer maneira, os persas não deram margem à zebra: golearam por 5 a 0, em noite inspirada de seus homens de frente.

O Iêmen surpreendeu bastante ao conquistar sua classificação inédita à Copa da Ásia. A seleção assegurou a vaga à fase final sem sequer poder mandar seus jogos em casa, consequência da guerra civil que se desenrola no país. Os conflitos internos se intensificaram em 2015, ano no qual a Arábia Saudita também iniciou uma intervenção militar nos vizinhos. Além do mais, a população iemenita acaba submetida a condições extremas de miséria, com a fome e epidemia de cólera dizimando mais vidas. Diante do caos, o Campeonato Iemenita foi suspenso. Os jogadores passaram a trabalhar em “empregos comuns”, alguns faleceram ao se juntar à luta e um dos convocáveis chegou a ser sequestrado por grupos extremistas. Desta maneira, a própria preparação do elenco treinado por Jan Kocian se torna um sacrifício. Mas a presença na Copa da Ásia é um alívio à equipe e a chance de orgulho aos compatriotas.

 

Não foi desta vez, porém, que o Iêmen conseguiu fazer um bom papel em campo. Afinal, o Irã é o principal candidato a conquistar o título continental, ao lado do Japão e da Coreia do Sul. O trabalho consistente de Carlos Queiroz referenda o Team Melli, como bem se viu na última edição das Eliminatórias. E as boas atuações na Copa do Mundo serviram para aumentar as expectativas. Apesar de alguns desfalques importantes por lesão, sobretudo o volante Saeid Ezatolahi, os persas tem talento o suficiente para sonhar com a taça. Algo que ficou evidente diante dos iemenitas. Se a defesa geralmente rende os pontos desde a chegada do treinador português, nesta segunda o ataque registrou a maior vitória sob o comando de Queiroz.

A goleada foi construída ainda no primeiro tempo. Mehdi Taremi abriu o placar aos 12 minutos, aproveitando um rebote do goleiro Saoud Al Sowadi. Aos 23, o arqueiro iemenita ainda deu uma baita dose de azar, em cobrança de falta que bateu na trave e depois nas suas costas, antes de entrar. E dois minutos depois, Taremi anotou mais um, em cabeçada cheia de estilo. Na volta ao segundo tempo, o Irã intensificou a pressão e ia exigindo defesas de Al Sowadi, até vencê-lo novamente aos oito minutos. O goleiro bobeou em bola alçada na área e Sardar Azmoun aproveitou a sobra. Por fim, Saman Ghoddos arriscou de fora da área e concluiu o passeio dos iranianos. Nos acréscimos, quase saiu ainda uma pintura de Mehdi Torabi, em míssil do meio da rua que estalou a trave.

O Irã lidera o Grupo D da Copa da Ásia, que ainda conta com Iraque e Vietnã, protagonistas no jogo desta terça. Já no Grupo C, Coreia do Sul e China dividem a ponta, conquistando suas primeiras vitórias nesta segunda com um bocado de sofrimento. Os chineses foram os primeiros a entrar em campo. Penaram contra o estreante Quirguistão e arrancaram a virada por 2 a 1 apenas no segundo tempo. Akhlidin Israilov abriu o placar para os ex-soviéticos na etapa inicial. E depois do intervalo, o goleirão Pavel Matiash entregou o ouro. Primeiro, rebateu a bola para dentro das próprias redes de maneira incompreensível. Por fim, saiu mal demais no mano a mano e abriu espaço para Yu Dabao resolver a parada. Já os sul-coreanos bateram Filipinas, também estreantes na Copa da Ásia, por 1 a 0. Os novatos não se intimidaram contra a potência continental e criaram suas chances, com o atacante Javier Patiño apresentando o seu talento. Todavia, o time de Paulo Bento insistiu no segundo tempo e foi às redes graças ao centroavante Hwang Ui-jo.


Os comentários estão desativados.