O Le Mans perdeu o seu status de clube profissional na França. O time estava na segunda divisão do país, a Ligue 2, mas foi jogado para a sexta divisão. Tudo porque está endividado até a alma e pode acabar abrindo falência. Os jogadores serão liberados e o clube já anunciou que irá fechar as categorias de base como medidas para reduzir custos. O clube que já teve Drogba, Gervinho, Sessegnon e até o brasileiro Grafite está em uma grave crise financeira.

Rebaixado da primeira divisão, a Ligue 1, em 2009/10, o time jogava a Ligue 2 na temporada 2012/13, mas foi rebaixado para a CFA, equivalente à quarta divisão, pela Direction Nationale du Contrôle de Gestion (DNCG), órgão que fiscaliza as finanças dos clubes. A punição seria por um buraco de € 14,4 milhões nos seus livros fiscais. Mas o caso continuava e a situação ficou ainda pior para a equipe.

 

A decisão foi no dia 28 de junho, mas depois de julgamento na comissão de recursos da DNCG, o clube teve a pena aumentada. Foi excluído de todas as competições nacionais, caindo para a sexta divisão, que é regional. Essa é a divisão que o time C do Le Mans jogava. Jogava porque, claro, os times de baixo serão extintos.

O clube pode recorrer ao Comitê Olímpico Francês, última instância que julga os casos esportivos do país. O clube anunciou que as categorias de base serão fechadas e a grande maioria dos jogadores com contrato serão liberados para procurar outro clube. Tudo para economizar recursos que o clube não tem.

Drogba defendeu o clube entre 1998 e 2002 antes de ser vendido ao Guinamp e depois fazer sucesso no Olympique de Marseille e no Chelsea. Entre 2006 e 2007, o atacante Grafite defendeu o clube e fez uma boa temporada, que lhe valeu a transferência para o Wolfsburg. Entre 2007 e 2009, Gervinho foi jogador do clube e saiu da equipe vendido por € 6,5 milhões. Agora, o clube voltará a ser amador e terá que se reestruturar por completo.


Os comentários estão desativados.