Quis a frenética roleta que dispõe sobre a carpeta da realidade as circunstâncias sempre especiais do Gre-Nal que justamente em um clássico do dia dos pais estivessem abancados na casamata, na verdade com mais frequência naquele breve PÁTIO à sua frente, dois cidadãos que já viveram a sempre doce e inafiançável condição de paternidade sobre o rival. O Inter já foi levado para passear no parque por Felipão, andou de roda gigante e comeu pipoca, enquanto Abel Braga, ainda que por condições enviesadas, à frente do Inter mais vencedor de todos os tempos, também já exerceu sua paternidade sobre o Grêmio, talvez não diretamente, mais como padrasto, ou como LUCIANO SZAFIR. Bueno, vocês entenderam o conceito.

Continue lendo no Impedimento.