Quando vemos declarações de empresários falando sobre seus jogadores, sempre temos que tomar cuidado. É comum vermos bravatas, sejam elogios ou críticas. O que o empresário de Mario Madzukic disse, porém, fugiu um pouco ao lugar comum. Ele elogiou não o seu jogador, mas sim o que o técnico dele, Massimiliano Allegri, que influenciou o desempenho de Manzdzukic no desempenho que teve pela seleção croata, finalista da Copa do Mundo.

LEIA TAMBÉM: Nos 45 anos de Cannavaro, vale relembrar sua atuação monstruosa na semifinal da Copa de 2006

“Seu relacionamento com Allegri é muito forte. Eu vou te dar um pouco de história: se a Croácia chegou à final da Copa do Mundo, foi em parte graças ao técnico da Juventus. Antes de Mario sair [para a Copa], Allegri ligou para ele e disse: ‘Não ouça às conversas, a diretoria me consultou e eu disse que você era indispensável para mim’. Essa demonstração de confiança o estimulou e ele estava indubitavelmente motivado na Rússia”.

Mandzukic fez aquele que é provavelmente o gol mais importante da sua vida na semifinal da Copa, quando marcou na prorrogação e deu a vitória por 2 a 1 à Croácia sobre a Inglaterra, levando o time dos bálcãs à grande decisão. E apesar da contratação de Cristiano Ronaldo para a Juventus, a grande transferência do mercado europeu na temporada, ele permaneceu. E tem sido bastante importante neste início de trajetória dos bianconeri. Ele decidiu inclusive se aposentar a seleção croata, aos 32 anos, para se dedicar à carreira no clube.

O empresário também contou sobre o início de carreira do jogador, que valoriza algo que nos acostumamos a ver: a sua versatilidade. Um centroavante na maioria dos clubes pelo qual jogou, na Juventus ele tem sido usado de uma forma que era comum apenas na seleção: como um ponta aberto pelo lado esquerdo. Foi assim que ele se colocou no time, jogando ao lado de Gonzalo Higuaín, e não como substituto dele. Assim, também tem jogado com a chegada de Cristiano Ronaldo.

“Ele era lateral direito, depois virou ponta direita porque o rapaz tinha técnico e o técnico o colocou mais para frente”, afirmou Ivan Cvjetkovic ao Calciomercado.com. “Às vezes ele também jogava pela esquerda. Um dia o técnico me ligou e me disse: ‘Eu acho que esse rapaz tem bons números. Venha e o veja’. Eu fui e depois de meia hora, eu apertei as mãos de Mato [apelido de Mandzukic: trabalho feito, eu o levarei comigo. Antes do fim do jogo, nós acertamos tudo”.

Mandzukic chegou do Atlético de Madrid, depois de passar apenas uma temporada pelo clube, em 2015. Desde então, são três anos de Juventus, muito bem-sucedido. Considerando todos os clubes pelos quais passou na carreira, a Juventus já é o clube onde ficou mais tempo, empatado com o Dinamo Zagreb. Com esta temporada, Mandzukic completará quatro anos de clube e, assim, a camisa bianconera passará a ser aquela que ele passou mais tempo na vida.

“Quando Mario chegou a Turim, ele certamente estava orgulhoso de vestir aquela camisa, mas talvez pensasse que seria apenas mais um passo na carreira”, comentou o empresário. “Nos últimos três anos, ele se apaixonou pela Juventus, pelo clube e seus torcedores. Talvez apenas no Bayern ele se sentiu tão amado e convencido, mas aqui na Juventus há algo mais”.

Até aqui, Mandzukic jogou nos três jogos da Juventus na Serie A. O primeiro deles vindo do banco, mas nos outros dois como titular. Por vezes, fez o trabalho que Karim Benzema fazia com Ronaldo no Real Madrid, abrindo espaços saindo do meio para as pontas. A Juventus volta a campo no domingo, às 10h (horário de Brasília) contra o Sassuolo, em casa. Uma das grandes expectativas é se haverá gol de Cristiano Ronaldo. Mandzukic já marcou dois gols até aqui em três jogos.


Os comentários estão desativados.