O Estádio Wankdorf representa alguns capítulos especiais à história do futebol. Por lá, a Alemanha Ocidental protagonizou o famoso “Milagre de Berna”, ao derrotar a Hungria na decisão da Copa de 1954. O estádio também recebeu a final da Champions de 1961, que consagrou o Benfica em seu primeiro título continental, assim como três partidas da Euro 2008. Já desta vez, a beleza da história fica por conta do retorno às raízes. Rebatizado como “Stade de Suisse” desde sua reconstrução na década passada, o Wankdorf retomará o seu nome original, com o apoio de uma empresa que comprou os naming rights do estádio.

Demolido em 2001, o Stade de Suisse foi reinaugurado em 2005. Propriedade do Young Boys, levava oficialmente o novo nome pomposo, que tentava ressaltar o caráter nacional do local. Entretanto, os próprios torcedores preferem chamá-lo de Wankdorf. Os mais insatisfeitos chegaram a fazer uma petição antes de sua reabertura, para que a alcunha fosse mantida. Precisaram esperar 15 anos para que o desejo fosse atendido.

O nome de Wankdorf faz referência à região onde o estádio está localizado em Berna. Assim, a CSL Behring resolveu presentear os aurinegros com o nome original. Vizinha do Young Boys, a indústria de biotecnologia comprou os naming rights pelos próximos cinco anos, com opção para renovar o contrato por mais cinco. Faz seu marketing positivo sem precisar necessariamente se exibir. A retomada será adotada oficialmente a partir de 2020.

“A volta do nome tem um grande valor emocional para nós. A CSL Behring está sediada no distrito de Wankdorf há 70 anos. Temos uma excelente vizinhança com o estádio e estamos orgulhosos de poder intensificar a nossa cooperação. Wankdorf é o local onde combinamos estas emoções e valores. Acima de tudo, o distrito deve ser sustentável, não só em benefício do futebol, mas também dos moradores e de nossos funcionários”, declarou Pierre Caloz, representante da companhia.

Já o chefe-executivo do Young Boys exaltou a parceria: “A entrada dos novos parceiros se encaixa perfeitamente para nós, é importante para alcançarmos nossos objetivos esportivos. Queremos desenvolver mais Berna e Wankdorf. Compartilhamos os mesmos valores”. Atuais bicampeões suíços, após romperem um jejum de 32 anos, os aurinegros também lideram a temporada vigente, um ponto à frente do Basel. O sucesso coincide com a história.