A Suíça entrou em campo para enfrentar a Costa Rica sem grandes preocupações, já que a chance de ficar fora era muito complicado. Talvez por isso, aos suíços tenham entrado em campo em um ritmo mais lento, enquanto os costarriquenhos entraram bastante ligados. No fim, o jogo serviu bem para que o time testasse dois jogadores no time titular, Embolo e Gravranovic. No mais, serviu para a Costa Rica marcar um gol e ser a 32ª seleção a conseguir isso. Todas as outras já tinham marcado ao menos um gol.

LEIA TAMBÉM: Seguro de si, o Brasil soube aproveitar suas virtudes e conquistou uma grande vitória

Pressão costarriquenha

Nos primeiros 10 minutos de jogo, a Costa Rica pressionou demais. Em cinco minutos, o goleiro Sommer fez três defesas complicadas. Em um lance, ele teve que intervir três vezes: no chute de Cambpell, colocado; depois em uma cabeçada de Celso Borges, que ainda tocou a trave; por fim, uma finalização no canto esquerdo.

Suíça acalma o jogo

Depois o início com bom volume de jogo da Costa Rica, a Suíça equilibrou as ações, ao mesmo tempo que os centro-americanos também passaram a ter menos ímpeto. Embolo, que ganhou posição no time, passou a levar perigo. O jogo ficou mais equilibrado.

Bonita jogada

Em uma boa jogada pela direita, Lichtsteiner cruzou da direita para a segunda trave, Embolo ajeitou de cabeça para o meio da área e Dzemaili chegou chutando forte: 1 a 0, aos 30 minutos.

Karma?

Aos 11 minutos do segundo tempo, Joel Campbell cobrou escanteio lado direito do ataque e Kendall Waston, que antes de subir colocou as mãos nas costas do zagueiro Akanji, exatamente como Steven Zuber fez contra Miranda no jogo contra o Brasil. Os suíços nem reclamaram.

Contra-ataque

Com o segundo tempo em um ritmo mais lento, com a Costa Rica até querendo mais jogo que os suíços, foi o time europeu que conseguiu um contra-ataque para marcar o segundo gol. Zakaria avançou pela direita, cruzou rasteiro e Josip Drmic chegou chapando a bola para o fundo da rede.

Empate no final

O árbitro marcou um pênalti no final do jogo, aos 47 minutos, quando Cambpell entrou na área e acabou derrubado. Ou, mais precisamente, foi tocado, o que não pareceu suficiente para ser falta. Marcado o penal, Bryan Ruiz, o capitão, camisa 10, correu e bateu, a bola bateu no travessão, nas costas de Sommer e entrou: 2 a 2 no placar.

FICHA TÉCNICA

Suíça 2×2 Costa Rica

Local: Estádio Nizhny Novgorod, em Nizhy Novgorod (Rússia)
Árbitro: Clament Turpin (França)
Gols: Dzemaili aos 31’/1T (Suíça), Waston aos 11’/2T (Costa Rica), Drmic aos 43’/2T (Suíça), Sommer, contra, aos 47’/2 (Costa Rica)
Cartões amarelos:
Lichtsteiner, Zakaria, Schär (Suíça), Gamboa, Campbell, Waston (Costa Rica)
Cartões vermelhos:
nenhum

Suíça

Yann Sommer; Stephan Lichststeiner, Fabian Schär, Manuel Akanji e Ricardo Rodríguez; Valon Behrami (Denis Zakaria aos 15’/2T) e Granit Xhaka (Michael Lang aos 36’/2T); Xherdan Shaqiri, Blerim Dzemaili e Breel Embolo; Mario Gavranovic (Josip Drmic aos 30’/2T). Técnico: Vladimir Petkovic

Costa Rica

Keylor Navas; Johnny Acosta, Giancarlo González, Kendall Waston; Cristian Gamboa (Ian Smith aos 47’/2T), David Guzmán (Rándall Azofeifa aos 46’/2T), Celso Borges e Bryan Oviedo; Daniel Colindres (Rodney Wallace aos 36’/2T) e Bryan Ruiz; Joel Campbell. Técnico: Óscar Ramírez