Era aguardada uma quinta-feira de muita emoção em Florença. A Basílica de Santa Cruz receberia os restos mortais de Davide Astori, capitão da Fiorentina falecido no último domingo, para a realização de seu velório. E o tributo ao zagueiro, assim como ocorreu ao longo da semana, dignificou ainda mais a sua memória. Cerca de oito mil torcedores lotaram a praça em frente à igreja. Gritaram o nome de Astori e coloriram os céus de roxo. Além disso, diversos jogadores e outras personalidades estiveram presentes no local para a despedida.

Os torcedores da Fiorentina aplaudiram cada um dos amigos que compareceram à basílica para o adeus a Astori. E um dos momentos mais tocantes aconteceu na chegada dos jogadores da Juventus, grande rival da Viola. A despeito de qualquer animosidade, os florentinos agiram da maneira mais humana possível: ovacionando os bianconeri, que vieram diretamente de Londres, onde eliminaram o Tottenham na Liga dos Campeões. Gianluigi Buffon, Giorgio Chiellini e Andrea Barzagli, entre outros, compunham a comitiva. A maioria dos clubes da Serie A se juntou ao tributo. E, obviamente, os atletas da Fiorentina estavam entre os mais emocionados.

Na praça, familiares e companheiros de Astori dedicaram suas últimas palavras ao capitão. O meio-campista Milan Badelj serviu de porta-voz ao elenco da Fiorentina. “Davide, você era simples, direto, pragmático. Com seu olhar profundo, poderia entrar nos olhos de qualquer um e permanecer ali. Você não era igual a todos os outros. Você conversava conosco, mostrando o caminho. Você sempre falava com seu coração, motivava os mais jovens e os mais velhos, com o dom da linguagem universal de seu coração. Um dom que pouquíssimos têm”, declarou o croata.

“Seus pais não erraram com você, nem uma vírgula. Você era o melhor companheiro que um garoto pode sonhar quando está começando neste lindo esporte. Como podemos nos esquecer das suas risadas, do seu senso de humor?. Você não era como os outros, você era o futebol – a coisa real, o futebol puro das crianças. Nossas condolências vão para sua mãe e seu pai, aos seus irmãos, à sua esposa Francesca e à princesa Vichy. Você era um homem com H maiúsculo e nós diremos isso a elas. Durante as manhãs, você sempre era o primeiro a ir à sala de fisioterapia para acender a luz. Você é a luz de todos nós. Obrigado, Davide”, complementou.

Após a cerimônia, o caixão de Davide deixou a basílica. Então, os torcedores da Fiorentina tremularam suas bandeiras, levantaram seus cachecóis e cantaram “há só um capitão”, bem como o hino da Viola, que marca a entrada dos jogadores em campo a cada partida no Artemio Franchi. Além disso, a fumaça roxa dos sinalizadores tomava a atmosfera na praça. Algumas faixas e cachecóis foram levadas ao carro fúnebre. Já nos portões do estádio, centenas de presentes amarrados nas grades homenageiam o ídolo.

O adeus oferece um pouco de conforto diante de uma perda irreparável, sobretudo para familiares e amigos. A grandeza de Astori como homem, ao menos, se preserva com tantas imagens à posteridade.