O Corinthians conquistou a Libertadores muito por conta de sua qualidade coletiva. Entretanto, a decisão acabou marcada por uma individualidade que fez a diferença. Emerson, que já tinha dado o passe para o tento de Romarinho em La Bombonera, foi à desforra no Pacaembu com dois gols. Merecidamente, foi eleito o melhor em campo pela organização do torneio. E, mais que isso, eternizou seu nome entre os grandes heróis corintianos.

O Sheik capitalizou as melhores jogadas dos alvinegros na partida derradeira. Três das sete finalizações de sua equipe no jogo foram suas. As únicas que conseguiram furar o bloqueio xeneize e foram efetuadas de dentro da área. E todas elas acabaram indo na direção do gol defendido por Sosa, duas delas no fundo das redes. No primeiro tempo, valeu o oportunismo e o posicionamento. No segundo, abusou da velocidade e da qualidade na finalização.

Emerson, porém, foi bem mais que o homem-gol de Tite na partida. Movimentou-se bastante e participou do jogo. Foi o terceiro jogador que mais acertou passes na partida, atrás apenas de Paulinho e Alessandro. Foram 26 toques para companheiros, 19 apenas no primeiro tempo. E o atacante também deu sua contribuição defensiva, desarmando os adversários três vezes.

Ao final, o camisa 11 ainda acabará marcado como o artilheiro do Corinthians na campanha inédita. São cinco tentos, três deles nos mata-matas. E ainda mantém uma sina vitoriosa: desde 2005, o Sheik conquista ao menos um título por ano.

A sequência de títulos de Emerson

2005 – Copa do Imperador (Urawa-JAP)
2006 – Campeonato Catariano e Copa Coroa do Príncipe do Qatar (Al Sadd-QAT)
2007 – Campeonato Catariano, Copa Coroa do Príncipe do Qatar, Copa Emir do Qatar, Copa Sheikh do Qatar (Al Sadd-QAT)
2008 – Copa Príncipe do Qatar (Al Sadd-QAT)
2009 – Campeonato Brasileiro e Campeonato Carioca (Flamengo)
2010 – Campeonato Brasileiro (Fluminense)
2011 – Campeonato Brasileiro (Corinthians)
2012 – Copa Libertadores (Corinthians)