Se dependesse apenas de si, o México poderia viver um desastre gigantesco nesta quarta-feira. A derrota para a Suécia tinha contornos de hecatombe, diante dos riscos de perder os mata-matas da Copa mesmo com duas vitórias nas duas primeiras rodadas. O medo, no entanto, se tornou gratidão. E os mexicanos passaram a festejar de todas as maneiras possíveis os sul-coreanos que passassem pela sua frente, depois da vitória dos asiáticos que deixou a bomba nas mãos da Alemanha. Aconteceu na Rússia, com sul-coreanos tratados como reis. Mas impressionante mesmo é o que rolou no próprio território mexicano.

A embaixada da Coreia do Sul na Cidade do México virou mais um ponto de comemoração pela classificação mexicana. Dezenas de torcedores se reuniram em frente ao prédio. E o embaixador foi herói de El Tri por alguns instantes. Virou uma dose de tequila no gargalo e ouviu os gritos de “coreano, irmão, já és mexicano”. O trauma de uns, no fim das contas, acaba sendo o êxtase de outros. A euforia é gigantesca: