Um goleiro não faz gols, mas pode ter uma importância para o time tão grande quanto quem os faz. Em decisões por pênaltis, os goleiros têm uma chance de ouro para brilhar e serem os protagonistas que, em jogos comuns, dificilmente podem ser. Foi assim com Willy Caballero neste domingo de decisão da Copa da Liga. Um protagonismo, aliás, que ele tirou de Simon Mignolet. O goleiro belga do Liverpool falhou no gol do Manchester City, mas se recuperou e fez grandes defesas. Até que vieram os pênaltis. E foi aí que Caballero, que já tinha ido bem, foi melhor ainda.

LEIA TAMBÉM: Lesões levaram Manchester United a ter garotos protagonistas da grande vitória sobre o Arsenal

O primeiro tempo teve pouca coisa para ser comentada. O segundo tempo mal tinha começado quando Agüero, mostrando um domínio de bola fantástico, rolou para Fernandinho encher o pé. A bola era defensável, mas Mignolet deixou a bola passar. E olha que ele já tinha feito uma defesa incrível no primeiro tempo, em um chute cara a cara de Agüero. A falha de Mignolet foi decisiva, mas a sua atuação também o isentaria depois.

O Manchester City teve a chance de matar o jogo. Duas vezes. Ambas com Sterling. Logo ele, que poderia fazer valer a lei do ex. Claro, delírio da torcida do Liverpool que vinha o ex-jogador do clube se atrapalhar nas finalizações.

É preciso também falar sobre Alberto Moreno. O lateral esquerdo tomou um baile de Sergio Agüero em vários lances, sofreu na marcação e até foi o autor de um pênalti reclamado pelos jogadores do Manchester City. Um lance discutível, mas que muitos árbitros marcariam sem pensar muito. Quando o baile já estava ficando perigoso, com Moreno perdido na marcação e com um cartão amarelo, Klopp teve que improvisar. Colocou James Milner na lateral esquerda e jogou o time mais para frente.

O empate veio, depois de uma jogada que lembra muito os antigos jogos de pinball: a bola veio da direita para o meio, bate e rebate, até que sobrou para Sturidge cruzar para Coutinho, no meio da área, empatar o jogo e comemorar. Comemorar muito.

A prorrogação chegou e colocou, mais uma vez, Agüero frente a frente com Mignolet. O atacante argentino chutou, o goleiro belga deu um tapa na bola que salvou o gol. Era o milagre do lado do goleiro do Liverpool. Só que do outro lado, o goleiro do Manchester City, Willy Caballero, também teve que fazer milagres. Já no segundo tempo da prorrogação, depois de um novo bate e rebate na área, o goleiro argentino salvou em uma finalização de Origi.

O jogo, então, se arrastava para o final. Os dois times estavam cansados e cada ataque era um drama. O fim, então, acabou sendo o mais dramático possível: os pênaltis.

Emre Can abriu as cobranças com uma cavadinha de parar o coração dos torcedores, mas marcou o gol. Liverpool 1×0.

Depois, foi a vez de Fernandinho, autor do gol durante o jogo. Chutou na trave. Placar mantido, Liverpool 1×0.

Foi a vez de Lucas Leiva. Ele chutou, Caballero defendeu. Seguia Liverpool 1×0.

Jesus Navas cobrou e marcou. Empate do Manchester City, 1×1.

Veio Coutinho. Autor do gol no tempo normal, ele chutou e goleiro defendeu. Seguia 1×1.

Agüero foi para a marca da cal. Marcou o gol e desempatou, Manchester City 2×1.

Foi a vez de Lallana. Ele chutou e Caballero, mais uma vez, defendeu. Manchester CIty seguia vencendo por 2×1.

O pênalti decisivo foi dado nos pés de Yayá Touré. Ele cobrou perfeitamente, guardou, e deu o título ao Manchester City.

Jogadores do Manchester City comemoram a vitória da Copa da Liga nos pênaltis (AP Photo/Kirsty Wigglesworth)
Jogadores do Manchester City comemoram a vitória da Copa da Liga nos pênaltis (AP Photo/Kirsty Wigglesworth)
Veja os gols do jogo: