O Flamengo chegou à Data Fifa ciente que lidaria com os desfalques. As ausências mais sentidas se concentram no ataque, sobretudo pelas convocações de Bruno Henrique e De Arrascaeta. No entanto, o problema se tornou solução a um garoto de 17 anos. O encontro com o Avaí, discutivelmente transferido para Brasília por opção financeira do clube catarinense, ofereceu o palco prefeito a Reinier. Tratado como a próxima grande promessa do Fla, o meia fez sua estreia como titular e sobrou em sua cidade natal. Anotou seu primeiro gol como profissional, deu assistência e comandou a vitória por 3 a 0 sobre o Leão da Ilha.

Curiosamente, Reinier quase não pôde jogar por causa de seus compromissos com a seleção sub-17. O meia deveria se apresentar a amistosos com a equipe nacional, mas não foi liberado pelo Flamengo. Como não havia uma desconvocação da CBF, em episódio parecido ao que atrapalhou as despedidas de Rodrygo no Santos e Renan Lodi no Athletico Paranaense, a diretoria rubro-negra acionou o STJD. O pleno do tribunal concedeu a permissão para que Reinier atuasse, diante de irregularidades no chamado feito pela Seleção. Assim, acabou relacionado normalmente para a rodada do Brasileirão.

A ação nos tribunais não foi em vão. Diante das ausências causadas pelas seleções principais, o Flamengo entrou em campo com um quarteto ofensivo diferente. Gérson, Éverton Ribeiro e Reinier apareciam no apoio, enquanto Gabigol era o homem de referência. E não foram as novidades que prejudicaram o bom toque de bola ou o entrosamento dos rubro-negros. O primeiro gol saiu aos 11 minutos, a partir de uma boa tabela pela faixa central. Reinier deu um tapa de primeira e encontrou Gabriel com o caminho livre, para invadir a área e tocar na saída do goleiro. Já era uma pequena amostra do novato.

Diego Alves operou um milagre para evitar o empate de Brenner. Ainda assim, a superioridade do Flamengo era evidente e gerava ótimas tramas, a mais bonita em toque de letra de Gérson para Willian Arão carimbar o travessão. Gérson, aliás, fazia outra atuação de gente grande pelo Fla. Aos 31, logo veio o segundo, em escanteio cobrado para Pablo Marí conferir de cabeça. O Avaí não era mero espectador e Diego Alves voltou a fazer uma defesa salvadora antes do intervalo. Mas era realmente um fim de tarde rubro-negro em Brasília.

Na volta ao segundo tempo, Reinier tentou de letra e o goleiro Vladimir pegou. Seu gol saiu na sequência, aos sete minutos. O Flamengo emendou uma plástica troca de passes a partir da intermediária. O garoto matou no peito e serviu Gabigol, que devolveu com um tapa. Então, de frente para o goleiro, o prodígio mandou para dentro e correu para o abraço. Na comemoração, foi muito festejado pelos companheiros, titulares e reservas.

Diante do placar amplo, os cariocas diminuíram o ritmo. O Avaí chegou a acertar a trave, enquanto Arão teve a melhor chance de fazer o quarto, barrado por Vladimir. Além do mais, o duelo teve alguns desentendimentos desnecessários entre os jogadores, com direito à expulsão de Gustavo Ferrareis após uma entrada dura. Nada que atrapalhasse a festa no Mané Garrincha. Enquanto o Flamengo se garante por mais uma rodada na liderança, abrindo provisoriamente três pontos de vantagem sobre o Santos, o Avaí amarga a lanterna.

A quem conhece as categorias de base do Flamengo, Reinier é visto como um jogador de muito futuro. Começou em uma academia de Brasília e chegou ao Rio de Janeiro através do Vasco, em 2011, antes de passar também por Botafogo e Fluminense. Contudo, foi a partir de 2013 que o meia deslanchou com a camisa rubro-negra e liderou boas campanhas nas categorias de base. As expectativas são tamanhas que o clube estabeleceu uma multa contratual de €70 milhões, para afastar sondagens de clubes europeus. Alçado ao elenco principal, ganhou seus primeiros minutos com Jorge Jesus, entrando no decorrer da partida decisiva contra o Emelec na Libertadores e também na derrota para o Bahia no início de agosto. Já neste final de semana, em seu esperado debute como titular, roubou a cena.

O mais importante de Reinier contra o Avaí foi sua atitude. Tudo bem que o adversário é dos mais frágeis neste Brasileirão, mas o meia não se intimidou com a ocasião e participou bastante. Sua qualidade técnica manteve a fluidez do setor ofensivo flamenguista, com bons passes e visão na organização. E, como cereja do bolo, demonstrou a estrela de aparecer nos momentos decisivos. Suas penetrações na área tiveram grande valia ao resultado. Ao menos por essa primeira apresentação completa, merece as exaltações. Substituído nos minutos finais, saiu aplaudidíssimo pela torcida.

Reinier tende a ser aproveitado por Jorge Jesus paulatinamente no Brasileirão e na Libertadores, nem que seja como substituto. Por mais que o treinador sustentasse uma fama de não dar tanto espaço à base em Portugal, o prodígio parece ter conquistado a sua confiança. E o retorno a Brasília não deve demorar a acontecer. O Distrito Federal será a principal sede do Mundial Sub-17, no qual o meia deverá ser um dos principais nomes da Seleção. Quem sabe, para se valorizar ainda mais e reforçar o seu talento. Embora seu contrato tenha fim em dezembro de 2020 e a diretoria rubro-negra corra contra o tempo para renovar o vínculo, a impressão é a de que a promessa pode render muitas alegrias à massa. O show contra o Avaí talvez tenha sido só o começo.