O São Paulo estabeleceu-se na ponta da tabela do Campeonato Brasileiro entre junho e o meio de agosto, com oito vitórias em nove rodadas da competição. Eram adversários difíceis: Flamengo, Corinthians, Cruzeiro e Grêmio, o único que conseguiu derrotá-lo. No entanto, desde que entramos no returno, a queda de rendimento é visível, ratificada por mais um tropeço, neste sábado, contra o América Mineiro, no Morumbi: empate por 1 a 1. 

Adilson Batista faz um grande trabalho no Coelho, um time difícil de ser batido (apenas três derrotas em 11 rodadas) e ocupante do meio da tabela. Poderia ser um tropeço isolado na vida de um time campeão, como muitos tiveram, se não fizesse parte de um contexto mais amplo de resultados ruins nas últimas semanas, especialmente contra equipes em que se espera que o primeiro colocado assuma protagonismo. 

Porque contra os adversários mais fortes, o São Paulo podia adotar a posição mais confortável de defender e contra-atacar, até porque era um momento de peneirar os candidatos ao título. Uma vez com a responsabilidade de ganhar os jogos, contra adversários com ambições menores que se fecham para ver o que acontece, o time de Diego Aguirre tem mostrado algumas limitações. 

A estreia no returno foi um empate com o Paraná, lanterna da competição. Desde então, em sete rodadas, o São Paulo alcançou apenas duas vitórias, quatro empates e uma derrota. Dos adversários, apenas o Atlético Mineiro está entre os seis primeiros. Não fez mais de um gol em nenhuma dessas partidas. Vale a ponderação que esses mesmos jogos no primeiro turno também não foram maravilhosos para o Tricolor, com quatro empates e três vitórias, o que enfatiza a influência da combinação de estilos de jogo. 

O São Paulo chegou primeiro com Rodrigo Caio, em uma cabeçada completando um lançamento de lateral, e depois com Diego Souza, que emendou uma bicicleta. O próprio Diego foi quem abriu o placar, de veterano para veterano: Nenê cruzou, e o atacante cabeceou bem para fazer 1 a 0. Houve muitas oportunidades para matar a partida depois do intervalo, nenhuma aproveitada. Aos 35 minutos, Sidão defendeu o chute de Carlinhos, e Matheusinho empatou no rebote. 

O resultado significa que o São Paulo pode perder a liderança para o Internacional, dois pontos atrás, adversário do Corinthians, em Itaquera, neste domingo. Além disso, o Palmeiras, que pega o Sport, fora de casa, pode ficar a apenas um ponto do rival do Morumbi, com o Choque-Rei batendo à porta, daqui a duas rodadas.