O Sheffield United retornou à Premier League para lutar por sua permanência, mas não se contenta apenas com isso. As Blades também apresentam um futebol intenso e de ótimas alternativas táticas sob o comando de Chris Wilder, que garante resultados expressivos para um novato. Nas rodadas anteriores, a equipe já havia derrotado Arsenal e Everton, além de dar trabalho a Liverpool e Leicester. E que o Tottenham não venha bem, não deixa de ser valoroso o empate por 1 a 1 no Norte de Londres, no qual os visitantes mereciam mais. Jogaram melhor, criaram as chances mais claras e ainda tiveram um gol anulado por centímetros.

Durante os primeiros minutos, quem começou mandando em campo foi o próprio Sheffield United. Os visitantes atacavam com muita velocidade e achavam os espaços para finalizar. Paulo Gazzaniga seria exigido a duas boas defesas durante este início. O Tottenham tinha maior posse de bola, mas sofria com a pressão alta dos visitantes e só conseguiu atacar depois dos 15 minutos, sem precisão. Ainda assim, as Blades eram bem mais contundentes. Com mais um punhado de chances de sua equipe, John Lundstram soltou um canudo que fez a bola explodir na trave aos 30.

Com dificuldades, o Tottenham tentou respirar um pouco mais antes do intervalo e também teve uma ótima chance com Giovani Lo Celso, em tiro que passou ao lado do poste. A falta de pontaria dos Spurs era um problema, não só nos arremates, como também nos passes, mas o time conseguiu equilibrar as ações no início do segundo tempo, com a mudança em sua maneira de atuar. E o que se viu foi uma verdadeira trocação, com oportunidades para os dois lados. Lys Mousset ficou muito próximo de abrir a contagem ao Sheffield, enquanto Dean Henderson barraria Son Heung-min – liberado, após ver seu cartão vermelho contra o Everton cancelado.

O Tottenham só conseguiria abrir o placar aos 12 minutos, graças a uma infelicidade de Enda Stevens. Uma bola mal recuada pelo jogador do Sheffield deixou Son na cara do gol. O sul-coreano deu um toque por baixo do goleiro Dean Henderson para marcar. As Blades, porém, responderiam de imediato. Três minutos depois, o próprio Stevens deu o passe para David McGoldrick balançar as redes. O problema é que, na construção do lance, Lundstram estava centímetros impedido. Após longa conferência, o VAR anulou o lance.

Son poderia ter ampliado pouco depois, em chute prensado que seguiu para fora. Mas o Sheffield United não se abalou e arrancou o empate aos 33. Foi um lance de sorte às Blades, desta vez validado pelo VAR. Baldock desviou levemente o cruzamento de McGoldrick, deixando Gazzaniga vendido. Durante a reta final, seria o Tottenham quem reagiria. Os Spurs pressionaram pelo segundo gol, sem sucesso. Em meio à insistência, o substituto Lucas Moura teve a melhor ocasião, para que Henderson salvasse com a ponta dos dedos.

Pelo nível de intensidade do jogo e a quantidade de boas chances criadas pelos times, o empate por 1 a 1 saiu magro. E o mais interessante é que quem ocupa a zona de classificação às copas europeias é o Sheffield United. As Blades assumiram provisoriamente a quinta colocação da Premier League. Somam 17 pontos, à frente do Arsenal neste momento por causa do saldo de gols, beneficiado pela segunda melhor defesa do campeonato. Já o Tottenham, que poderia ganhar posições, aparece estacionado no pelotão intermediário. Ocupa o 12° lugar, com 14 pontos. A equipe de Mauricio Pochettino não vence há cinco rodadas.

Classificações Sofascore Resultados