Após um jejum de quase dez anos sem saber o que era ser campeão nacional, o Pachuca voltou a levantar a taça do Campeonato Mexicano no último domingo. Diante do Monterrey, fora de casa, os Tuzos contaram com a sorte e com uma atuação mais do que inspirada de Óscar Pérez, o paredão que fechou o gol do time visitante com seus humildes um metro e 72 centímetros. Para quem não lembra, ‘Conejo’, como é chamado o pequeno grande goleiro, foi titular da seleção mexicana durante da Copa do Mundo de 2010 e é um dos, se não o mais, atletas mais baixos de sua posição em atividade. Além da baixa estatura, um dos motivos pelo quais o mexicano é conhecido é por conta de alguns frangos que tomou vestindo a camisa do México. Dá para acreditar que 90% da responsabilidade em torno do título dos Tuzos foi de um goleiro de que mede 1,72m e tem 43 anos de idade?

VEJA TAMBÉM: Um épico contra o América levou o Monterrey à decisão do Mexicano

No jogo de ida, o Pachuca conseguiu segurar a vantagem de 1 a 0 sobre os Rayados em um jogo apertado. Já ontem, a partida terminou no placar de 1 a 1, mas com o Monterrey articulando inúmeras jogadas de perigo e pressionando a todo instante.  O autor do primeiro gol é um jogador bem conhecido pela torcida do São Paulo. Aos 40 minutos do primeiro tempo, Pabón (aquele) meteu uma bomba de fora da área e abriu o placar para o Monterrey. Depois disso, foram só lances ofensivos dos Rayados atrás de lances ofensivos. Por algum tempo, a partida ficou entre Monterrey e Óscar Pérez. Se não fossem as defesas que pareciam indefensáveis de Conejo, o verdadeiro herói da noite, o time da casa teria goleado e ficado com a taça tranquilamente. Porém, no último minuto da partida (sem os acréscimos), Guzmán empatou o jogo e selou o título tão esperado pelos Tuzos.

Agora, o Pachuca aguarda a chegada do mês de julho, que é quando enfrentará o Tigres, campeão do Torneio Apertura no segundo semestre do ano passado, na decisão da Copa dos Campeões. Veja os melhores momentos do jogo entre Pachuca e Monterrey (atenção para as três defesaças de Óscar Pérez em menos de dez segundos. Incrível!):