Dominar a nobre arte da bicicleta não é simples. Além de habilidade, é preciso coragem para executar a acrobacia. Não só pelo medo de se esborrachar de costas no chão, mas também pelo risco que a jogada representa. No entanto, quando se acerta o movimento perfeito, há um gol para ser lembrado por muito tempo. Como dois que aconteceram nas últimas 24 horas, entre a América do Sul e a Europa.

No Paraguai, Richard Ortíz virou a bike para abrir a vitória do Libertad sobre o Deportivo Santaní por 3 a 0. Destilou seu talento ao dominar a bola na entrada da área e prepará-la meticulosamente para fuzilar. Diferentemente do que fez Armin Hodzic, na goleada do Dinamo Zagreb sobre o Inter Zapresic por 5 a 1. Com a bola em velocidade, o artilheiro pegou o tempo perfeito para completar o movimento mortal, no primeiro de seus três gols na tarde.

Golaços de um mesmo gênero, mas diferentes. Ambos, dignos de serem indicados ao Prêmio Puskás. Qual você escolheria?