O fim de semana da Bundesliga teve muito mais do que apenas futebol. Além dos grandes resultados dentro das quatro linhas de Wolfsburg, Frankfurt, Bayern de Munique e Borussia Dortmund, por exemplo, fora delas quem deu show foram as torcidas. Fanáticos de diversos clubes levaram faixas aos estádios dando as boas-vindas aos refugiados que têm escolhido a Alemanha como seu destino.

VEJA TAMBÉM: As últimas transferências do fechamento da janela

A principal ação por parte de um clube veio do Borussia Dortmund, que, no meio da semana passada, convidou 220 refugiados para assistirem ao duelo contra o Odds Ballklubb, pela Liga Europa. O convite fez parte de uma ação maior, “Chegando em Dortmund”, que por sua vez é um pedaço de uma ação nacional que pretende dar as boas-vindas e facilitar a chegada de refugiados em toda a Alemanha. Mas o mais legal mesmo foi ver o gesto coordenado pelos torcedores em boa parte dos estádios que receberam partidas oficiais neste fim de semana. Pelo menos as torcidas de St. Pauli, Bayern de Munique, Borussia Dortmund e Werder Bremen levaram faixas às arquibancadas com mensagens para os refugiados, o que já garante uma exposição relevante para a causa, que deve ter tido mais torcidas envolvidas, mas com menor repercussão.

Em meio à crise migratória na Europa, a Alemanha é o país que mais recebe pedidos de asilo na União Europeia – e a previsão é de que esse número chegue a até 800 mil no fim deste ano. A rota dos refugiados que escolhem a Alemanha como destino é através da Grécia e do oeste dos Bálcãs. O maior grupo de imigrantes vem da Síria, fugindo da guerra civil que assola o país, e afegãos e eritreus também têm comunidades significativas de refugiados.

São pessoas que arriscam suas próprias vidas em perigosas travessias, em busca de condições de vida mais dignas ou mesmo para escapar de algum conflito em seus países de origem. Se tivessem ao menos seus direitos humanos respeitados, não teriam grande motivo para deixar suas casas. Além da possibilidade de serem barrados ou ter sua permanência no país escolhido tolhida, os refugiados ainda precisam encarar o preconceito de pessoas que veem em sua chegada uma ameaça a seu posto no mercado de trabalho. E é especialmente por isso que a atitude das torcidas alemãs é tão louvável, sobretudo levando em conta o quão extremistas alguns setores de fanáticos por alguns clubes europeus podem ser.