O Ajax enfrentou dificuldades nas preliminares da Champions League e parecia naturalmente sentir a perda de jogadores importantes na última janela de transferências. No entanto, o início dos Godenzonen na fase de grupos é imponente. Após a vitória sobre o Lille, em que a equipe de Erik ten Hag se aproveitou das circunstâncias para alargar os 3 a 0 no placar em Amsterdã, o primeiro compromisso fora de casa guardou outra grande vitória. Também por 3 a 0, os holandeses superaram o Valencia. Que o pênalti perdido por Dani Parejo tenha beneficiado os visitantes num primeiro tempo que guardou seu sufoco, sobrou qualidade ao Ajax em mais uma grande atuação ofensiva.

Hakim Ziyech foi o nome que mais se destacou na partida. O marroquino anotou um golaço de fora da área e quase fez outro, carimbando a trave. Comandou as ações do ataque e representou o principal perigo à defesa do Valencia. Entretanto, Dusan Tadic e Donny van de Beek também merecem menções honrosas pela apresentação no Mestalla. Enquanto o sérvio facilitou o serviço dos companheiros com seus passes, o holandês apareceu para romper a linha defensiva adversária. Foram os nomes que permitiram a grande noite aos Ajacieden.

 

Ziyech tirou seu coelho da cartola logo aos oito minutos. A partida começou bem disputada, com Jasper Cillessen realizando grande defesa diante de Van de Beek e André Onana também trabalhando. No entanto, o marroquino encontrou o atalho às redes com um golaço. De fora da área, Ziyech ajeitou e acertou um chute em diagonal de imensa felicidade. Cillessen estava mal posicionado e facilitou o serviço, mas isso não tira os méritos do camisa 22, que bateu na bola com categoria para encobrir o arqueiro.

O Valencia cresceu depois do gol e buscou o empate. Os espanhóis atacavam em velocidade, o que causava problemas à marcação do Ajax. A grande chance do empate viria aos 23, quando Gonçalo Guedes fez grande jogada e conseguiu um pênalti ao seu time. Dani Parejo partiu à cobrança e exagerou na força, mandando o tiro longe do gol. Os valencianos seguiram incomodando e Onana ainda faria outra boa defesa depois dos 30, ao parar com o pé o arremate de Maxi Gómez.

Somente depois dos 34 é que a boa vitória do Ajax ganharia ares grandiosos. Os holandeses ampliaram com Quincy Promes. Tadic avançou pela linha de fundo e achou Van de Beek na direita. Então, o meia cruzou para Promes completar às redes. O Valencia não desistia e acertou o travessão pouco depois, com Rodrigo Moreno, num lance que poderia reavivar sua equipe. Todavia, Ziyech também respondeu à altura e quase anotou outro golaço. Bateu de fora da área com consciência e estalou o poste de Cillessen.

Num primeiro tempo em que o Valencia teve mais posse de bola e criou mais chances de gol, o Ajax não pôde reclamar de sua sorte. Como poucas vezes se nota, a equipe de Erik ten Hag esperou o adversário e jogou nos contragolpes. Conseguiu ser mais eficiente, graças ao brilhantismo de seus jogadores. E, assim como ocorrera contra o Lille, o segundo tempo viu os Godenzonen aproveitando a diferença para atropelar seus oponentes.

Durante os primeiros minutos, o Valencia ainda pressionou e Onana realizou ótima defesa para evitar o tento de Ferrán Torres, que saíra do banco. O Ajax demorou um pouco para encaixar o seu jogo e, a partir dos dez minutos, começou a criar um caminhão de chances. As boas trocas de passes abriam os caminhos e assim renderam o terceiro gol, aos 22. Tadic deu uma enfiada de bola preciosa e deixou Van de Beek de frente para o crime, para tocar na saída de Cillessen.

Depois disso, os Ajacieden até pareceram deslumbrados demais na hora de construir a goleada. Enfeitaram algumas jogadas que poderiam ter rendido o quarto. Com os espanhóis aceitando a derrota, os holandeses controlaram a partida e tiveram sua melhor chance para fechar o caixão no fim, quando Cillessen parou Lisandro Martínez. O placar considera menos do que deveria as dificuldades que o Valencia impôs, mas premia a eficiência e o talento do Ajax.

Erik ten Hag segue com questões a melhorar em seu time. A exposição na cabeça de área é um ponto, até pela maneira como o Valencia tentou empurrar os oponentes durante o primeiro tempo. Contudo, o Ajax permanece com potencial a uma boa campanha, especialmente depois de duas partidas em que seu ataque foi muito feliz. Em uma disputa que se promete parelha no Grupo H, somar seis pontos em duas rodadas deixa os holandeses em boa situação. Repetir a mera classificação aos mata-matas, ao que parece, não será mais um feito histórico, como na temporada passada. Será um prêmio natural diante daquilo que esse time produz.

Classificações Sofascore Resultados