A onda solidária no combate à pandemia do coronavírus apresenta toda a sua força no futebol alemão. Diferentes clubes, jogadores e torcidas tomam atitudes para abrandar os efeitos da crise, bem como para garantir as necessidades básicas aos doentes e à população em geral. Neste sábado, Robert Lewandowski foi mais um a agir com a responsabilidade social que se espera. Ao lado de sua esposa Anna, o centroavante doou €1 milhão em auxílio à emergência.

“Estamos todos cientes da situação difícil. Hoje, jogamos no mesmo time. Vamos ser fortes nesta luta. Se pudermos ajudar alguém, vamos em frente. A situação afeta cada um de nós e, por isso, pedimos que você siga as instruções e ouça quem tem conhecimento. Vamos ser responsáveis. Acreditamos que em breve retornaremos à vida normal. Estamos nessa juntos e a superaremos juntos”, afirmou o casal, ao Bild. Lewandowski não especificou quais instituições beneficiará e se usará o dinheiro na Polônia, sua terra natal.

Até o momento, a principal iniciativa na Alemanha ao redor do coronavírus é encabeçada por Joshua Kimmich e Leon Goretzka. A dupla do Bayern lançou uma campanha endereçada sobretudo a doações feitas por jogadores profissionais. Em pouco mais de um dia no ar, o projeto arrecadou mais de €2,7 milhões, com a participação de diferentes futebolistas. A intenção é colaborar com várias instituições de caridade, em áreas distintas de atuação.

O elenco da seleção alemã, por sua vez, doou de uma só vez €2,5 milhões no meio da semana. Kimmich e Goretzka também participaram desta ação, anunciada pela federação alemã, após conversa liderada pelos mais veteranos da equipe. Segundo o capitão Manuel Neuer, “em momentos como este, temos que cuidar uns dos outros, então nos juntamos para pensar e decidimos doar para boas causas”. São, além de tudo, também ótimos exemplos.