Foi um jogo totalmente atípico, é verdade. A expulsão logo nos minutos iniciais condicionou o confronto no Maracanã. Não é isso, porém, que diminui os méritos do Grêmio por avançar na Copa do Brasil. Depois de vencer por 3 a 1 em Porto Alegre, o Tricolor gaúcho se manteve como o senhor da noite no Rio de Janeiro. Aproveitou muito bem da vantagem numérica, anulou qualquer ímpeto do Fluminense e administrou o confronto para confirmar sua classificação às quartas de final do torneio. Vitória por 2 a 0, com destaque para o golaço de Luan.

Se o Flu prometia uma postura ofensiva, diante da desvantagem que precisava reverter, seus planos foram por água abaixo em pouquíssimo tempo. Depois de um lance que quase resultou em gol aos cariocas, a equipe da casa ficou com um jogador a menos. Carrinho por trás de Nogueira em Luan durante contra-ataque, que o árbitro avaliou passível a vermelho direto. A partir de então, Abel Braga precisou se preocupar com a recomposição da defesa, recuando Orejuela inicialmente, antes de tirar Gustavo Scarpa para a entrada do zagueiro Reginaldo. E os espaços acabaram entregando o jogo nas mãos do Grêmio.

Do susto inicial, os gremistas passaram a marcar com segurança e a atacar com velocidade. A partir de então, o gol parecia questão de tempo. E ele veio graças ao talento de Luan. Após bola ajeitada rapidamente por Barrios, o atacante recebeu com extrema liberdade e soltou um balaço no ângulo de Diego Cavalieri. Pintura, que tranquilizava ainda mais a situação aos gaúchos. O Grêmio ainda desperdiçou algumas outras chances de ampliar, até matar a partida aos 28. Lançamento magistral de Léo Moura, para Pedro Rocha passar por Cavalieri e arrematar. Naquele momento, o Flu precisaria de cinco gols para se classificar.

O Grêmio permaneceu mais ofensivo até o intervalo, enquanto o Fluminense se preocupava em reclamar sobre as decisões do árbitro, especialmente após entrada dura de Kannemann, que rendeu apenas o amarelo. Já na segunda etapa, Renato Gaúcho pôde poupar seu time. Tirou os dois zagueiros, evitando a expulsão de Kannemann e a lesão de Geromel, que sentiu dores. Nada que prejudicasse o domínio dos visitantes. Controlando o meio-campo, especialmente pelo trabalho de Ramiro e de Arthur, a equipe seguiu fazendo Cavalieri trabalhar eventualmente, embora seu maior interesse era gastar o tempo. O Flu passou a ameaçar mais, acertando inclusive o travessão com Henrique. Mas se perdeu no excesso de nervos, com os jogadores se estranhando frequentemente. Tudo o que os cariocas não precisavam.

Com autoridade, o Grêmio se coloca entre os oito melhores times da Copa do Brasil. E mostra potencial para brigar mais uma vez pelo título do torneio. A manutenção de algumas peças será primordial para isso, especialmente de Luan. De qualquer forma, os tricolores demonstram saber como encarar a competição. A maneira como eliminaram o Fluminense, por mais que a situação do jogo tenha sido atípica, ressalta alguns dos predicados dos gaúchos. É um grupo com suas carências, especialmente pela inconstância que atrapalhou em certos momentos da Libertadores. Ainda assim, que pode crescer.