A Colômbia estreou muito bem na Copa América com uma vitória por 2 a 0 sobre a Argentina, em Salvador. Era a partida mais esperada da primeira fase desta competição, porque reunia dois times que podem brigar pelo primeiro lugar. Vieram dois golaços, mas o o jogo em si deixou a desejar. Colômbia ganhou com méritos, diante de uma Argentina que mais uma vez passou longe de ser um time coeso. Teve Lionel Messi, tentando muito e sempre, mas sem conseguir ir além disso.

Técnicos estreantes

Os dois técnicos estreavam. Pelo lado argentino, Lionel Scaloni, um novato; na Colômbia, o experiente Carlos Queiroz, ex-Real Madrid, seleção portuguesa e seleção iraniana. O português levou a melhor.

Atmosfera quente em Salvador

Depois de vermos a geladeira no Morumbi para Brasil x Bolívia e o estádio vazio na Arena Grêmio para Venezuela e Peru, a Fonte Nova recebeu um bom público: 35.572 pessoas (a capacidade da Fonte Nova é de 47.364, ou seja, 75% de ocupação), com renda de R$ 9.259.710.

Que isso, Armani!

Goleiro se enrolou na saída de bola, pressionado pelo ataque da Colômbia. Deu um tijolo na direção de Otamendi, que dominou mal e perdeu para James Rodríguez, mas quando ele passou para o meio, a marcação da Argentina chegou rasgando com Guido Rodríguez. Um susto dos albicelestes.

Primeiro tempo morno

Olha que morno talvez já seja um elogio para o que foi o jogo no primeiro tempo. Nem Argentina, nem Ccolômbia conseguiram apresentar muito futebol. Os Cafeteros foram um pouco melhores e no final do primeiro tempo chegaram a ameaçar com alguns chutes. Nada, porém, que desse aquele arrepio nos torcedores.

Tchau, Di María

Ángel Di María segue como titular da Argentina. E o primeiro tempo do camisa 11, jogador do PSG, foi meia boca, sendo bastante generoso. Depois desses primeiros 45 minutos esquecíveis, Di María nem voltou para campo. Entrou Rodrigo De Paul, da Udinese, que fez uma boa temporada.

Esquentou

A Argentina melhorou no segundo tempo e começou a criar chances. Messi, em arrancadas, começou a segurar a bola e arrancar com ela, mesmo marcado por dois ou três a cada vez que se movimentava para receber. Leandro Paredes conseguiu um belo chute em um rebote, do lado direito, e obrigou Ospina a uma boa defesa. Messi, em passe de Agüero, conseguiu uma boa jogada, deu uma caneta e só foi cortado no último momento. Depois foi a vez de Otamendi, em uma cabeçada dentro da área, que obrigou Ospina a grande defesa.

Forte bomba!

A Argentina melhorou demais no segundo tempo, passou a pressionar e criar chances, mas o que aconteceu? Isso mesmo, gol da Colômbia. James Rodríguez fez um belo passe longo para Roger Martínez, que entrou no lugar de Luis Muriel. Ele recebeu na ponta esquerda, deixou Saravia sem pai nem mãe com um corte para dentro e soltou um tiro de pé direito: bola na rede lateral, indefensável. Golaço e 1 a 0 para a Colômbia.

Mudança no ataque – e espetada colombiana

Agüero não fazia um grande jogo, então o técnico Lionel Scaloni decidiu sacar o jogador do Manchester City. Colocou em campo Matías Suárez, que é do River Plate. É aposta do treinador, já que ele tem 30 anos e nunca foi do grupo da seleção.

Do outro lado, Carlos Queiroz tirou Falcao García, outro que não conseguiu fazer muita coisa no jogo, e colocou Duván Zapata, que fez uma temporada fantástica pela Atalanta.  Foram 48 jogos na temporada, 28 gols marcados. Aos 28 anos, o jogador vive o melhor momento da carreira.

Um contra-ataque monumental da Colômbia definiu o jogo. A bola passou por Roger Martínez, que esperou a passagem de Jefferson Lerma, na ponta esquerda, e ele cruzou de forma perfeita, precisamente no meio da área, a meia altura, onde Duván Zapata completou como um raio. Colômbia 2 a 0.

Argentina derrotada pela primeira vez desde 2007

Se contarmos apenas os jogos de Copa América, a última vez que a Argentina foi derrotada foi em 2007, na final daquela edição. Tomou um 3 a 0 do Brasil, em um torneio que jogou bem o campeonato todo, mas perdeu a final para o Brasil, que jogou pouco ao longo do torneio, mas venceu bem a final. Depois disso, todas as eliminações argentinas vieram nos pênaltis: em 2011, caiu para o Uruguai; em 2015 e 2016, para o Chile, nas finais. No total, eram 16 jogos de invencibilidade – o que, porém, não é nada além de uma curiosidade.

Próximos jogos

A próxima rodada será na quarta-feira, 19. Às 18h30, Colômbia x Catar se enfrentam no Morumbi. Às 21h30, Argentina e Paraguai jogam no Mineirão.

Ficha técnica

Argentina 0x2 Colômbia

Local: Fonte Nova, em Salvador
Árbitro: Roberto Tobar (Chile)
Gols: Roger Martínez aos 26’/2T e Duván Zapata aos 42’/2T (Colômbia)
Cartão amarelo: Falcao García, Juan Cuadrado, Duván Zapata, Jefferson Lerma (Colômbia), Guido Rodríguez, Renzo Saravia, Leandro Paredes (Argentina)

Argentina: Franco Armani; Renzo Saravia, Germán Pezzella, Nicolás Otamendi e Nicolás Tagliafico; Giovani Lo Celso, Guido Rodríguez (Guido Pizarro), Leandro Paredes e Ángel Di Maria (Rodrigo De Paul); Lionel Messi e Sergio Agüero (Matías Suárez). Técnico: Lionel Scaloni

Colômbia: David Ospina; Stefan Medina, Yerry Mina, Davinson Sánchez e William Tesillo; Wilmar Barríos, Mateus Uribe e Juan Cuadrado (Jefferson Lerma); James Rodríguez, Falcao García (Duván Zapata) e Luis Muriel (Roger Martínez). Técnico: Carlos Queiroz