Mohamed Salah precisou de poucos jogos para conquistar a torcida da Fiorentina. E de apenas dois meses para fazê-la esquecer de vez Juan Guillermo Cuadrado. O egípcio comanda a ótima fase da Viola, quadrifinalista da Liga Europa e na quarta colocação da Serie A. Neste sábado, ele definiu com um lindo gol a vitória por 2 a 0 sobre a Sampdoria, adversária direta na tabela. Além disso, anotou o sétimo tento desde que chegou a Florença, superando os seis de Cuadrado durante a primeira metade da temporada.

A postura mais ofensiva ajuda a superioridade de Salah, é claro. Enquanto o egípcio atua geralmente como ponta, Cuadrado vinha sendo utilizado como meia central, apoiando uma dupla de atacantes. De qualquer forma, não é isso que minimiza a excelente produtividade do novato. Desde que chegou, o atacante contribuiu diretamente (marcando gols ou dando assistências) para 10 pontos conquistados pela Fiorentina na Serie A. Além disso, fez dois gols no jogo de ida contra a Juventus na semifinal da Copa da Itália e também teve papel importante nas classificações sobre Tottenham e Roma na Liga Europa. Definitivamente, uma das melhores contratações de meio de temporada no futebol europeu.

Já são sete gols e duas assistências em 12 partidas pela Fiorentina. Números bastante superiores aos seus no Chelsea, onde era reserva e sequer balançou as redes durante a primeira metade da temporada. A liberdade maior no time de Vincenzo Montella contribui, enquanto era apenas um operário com José Mourinho, em uma função mais apropriada justamente a Cuadrado. Além disso, Salah não tem no Artemio Franchi as sombras que tinha no Stamford Bridge. Parece mais solto para mostrar o seu talento, ajudado por Mario Gómez, recuperado fisicamente, e Alessandro Diamanti, que aos poucos se encaixa no time. O italiano abriu o placar contra a Samp, enquanto o alemão serviu Salah, antes do egípcio cortar dois marcadores e fuzilar para o gol.

A jogadaça do atacante, aliás, enfatiza virtudes que ele não costumava apresentar no Chelsea. Mais do que a correria que impõe, Salah é excelente nos dribles em velocidade. Sem contar a capacidade de finalização, algo que quem o acompanhava no Basel já conhecia. Elementos suficientes para conquistar de vez a torcida da Fiorentina, que também tem motivos extracampo para admirar o novato – como a sua personalidade, notada na homenagem que presta aos seus compatriotas mortos no desastre de Port Said, usando a camisa 74. Não à toa, costuma ser apontado como herdeiro intelectual de Aboutrika no futebol egípcio.

Enquanto isso, Cuadrado parece assumir a má sorte de Salah no Chelsea. Reserva de Willian e relegado quase sempre a alguns minutos no segundo tempo, o colombiano provocou a fúria de Mourinho neste sábado, ao perder uma ótima oportunidade contra o Stoke City. Negócio que não pode ser desfeito, após custar € 34 milhões. Já Salah está apenas por empréstimo na Fiorentina, embora o clube tenha opção de estender a permanência por mais um ano pagando € 1 milhão ou fechar o acerto definitivo por € 16 milhões. Neste momento, ninguém na Viola questiona o ótimo negócio, por mais que Cuadrado tenha estrelado o time por um ano e meio.